Bolsas da Europa fecham em queda puxadas por bancos

Entre maiores baixas estiveram Credit Agricole, que recuou 5,5%, e Dexia, que despencou 8,2%

Danielle Chaves, da Agência Estado,

25 de julho de 2011 | 14h23

As bolsas europeias fecharam em queda, pressionadas pelas ações dos bancos em consequência das preocupações com o impasse sobre a elevação do teto da dívida dos Estados Unidos e depois de mais um rebaixamento do rating (nota de risco) da Grécia. O índice Stoxx Europe 600 caiu 0,3%, para 271,29 pontos, após quatro sessões seguidas de alta.

Entre as maiores baixas estiveram Barclays, que cedeu 4,4% em Londres, Credit Agricole, que recuou 5,5% em Paris, e Dexia, que despencou 8,2% em Bruxelas. Não houve progresso nas negociações entre os líderes do governo dos EUA realizadas no fim de semana sobre a questão da dívida norte-americana.

Na Europa o problema foi o corte de três notas no rating da Grécia pela Moody''s. A agência de classificação de risco afirmou que o pacote de resgate para o país negociado na semana passada beneficia todos os emissores soberanos por "conter o grave risco de contágio no curto prazo". No entanto, o acordo cria um precedente para futuras reestruturações de outros países, segundo a Moody''s.

Os mercados acionários da Itália e da Espanha tiveram os piores desempenhos na Europa. Em Madri o índice Ibex-35 recuou 1,92%, para 9.866,20 pontos. No setor bancário, BBVA caiu 3,5%, Banco Popular cedeu 4,7%, Bankinter declinou 4,8% e Banco Santander perdeu 3,2%.

O índice FTSE MIB da Bolsa de Milão fechou em queda de 2,48%, aos 18.979,43 pontos. UniCredit e Intesa Sanpaolo despencaram 7,1% e 8,3%, respectivamente. As ações da montadora Fiat Industrial contrariaram a tendência e subiram 5,4%, depois de a companhia anunciar crescimento de mais de 80% no lucro líquido no segundo trimestre deste ano, para 239 milhões de euros, de 130 milhões de euros no mesmo período do ano passado.

A Bolsa de Paris terminou o dia com baixa de 0,77%, aos 3.812,97 pontos. Londres encerrou a sessão com queda de 0,16%, aos 5.925,26 pontos. Enquanto os bancos caíram, as ações da mineradora Fresnillo subiram 2,9%, com ajuda do aumento dos preços do ouro e da prata.

O índice DAX de Frankfurt contrariou a tendência e fechou com alta de 0,25%, aos 7.344,54 pontos, puxado pelo avanço de 2,7% da montadora BMW. Acompanhando a tendência geral dos bancos, Commerzbank caiu 4%.

Os bancos da Irlanda apresentaram desempenho oposto ao das outras instituições financeiras europeias e subiram. Allied Irish Banks, por exemplo, fechou com alta de quase 9% depois de anunciar lucro de 2,24 bilhões de euros no primeiro semestre deste ano. Bank of Ireland subiu 1% após o governo do país informar que investidores institucionais e gerentes de fundos planejam investir até 1,12 bilhão de euros no banco, reduzindo a fatia do governo na instituição. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europabolsasfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.