Bolsas da Europa ganham mesmo sob expectativa com relação ao Fed

Índice Stoxx Europe 600 subiu 0,43% e fechou aos 313,28 pontos, antes da decisão do banco central dos EUA sobre incentivos

18 de setembro de 2013 | 13h48

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta, depois de alternarem ganhos e perdas nas últimas sessões em meio à cautela dos investidores antes da decisão de política monetária do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, que será anunciada às 15h (pelo horário de Brasília). "Esta tarde finalmente trará o evento sobre o qual todos os participantes dos mercados vêm especulando", comentou Brenda Kelly, estrategista do IG. O índice Stoxx Europe 600 subiu 0,43% e fechou aos 313,28 pontos.

Londres foi a única entre as principais bolsas europeias a terminar a sessão em queda, com perda de 0,17%, aos 6.558,82 pontos, em razão da cautela dos investidores antes da decisão do Fed e da entrevista do presidente da instituição, Ben Bernanke, à imprensa. Smiths Group subiu 2,6% depois de anunciar um aumento no lucro líquido antes de impostos em seu ano fiscal e um pagamento especial de dividendos.

A Bolsa de Frankfurt fechou com alta de 0,45%, aos 8.636,06 pontos, depois de oscilar dentro de uma faixa estreita durante toda a sessão. ThyssenKrupp subiu 1,9% e Adidas avançou 1,7%. Na ponta negativa, Lanxess caiu 2,8% após afirmar que suas projeções para todo o ano excluem potenciais desvalorizações de estoques.

Em Paris o índice CAC-40 teve alta de 0,60% e fechou na máxima, aos 4.170,40 pontos. Société Générale ganhou 1,79%, EADS subiu 3,0% e Air Liquide avançou 2,2%, enquanto Alstom caiu 1,4% em reação ao anúncio de que o crescimento da empresa está menor que o esperado. Peugeot Citroën apresentou +1,02%, impulsionada pela notícia de que a montadora está considerando um acordo com a parceira chinesa Dongfeng.

Os bancos foram destaque em Madri, onde o índice Ibex-35 subiu 0,78%, para 9.062,50 pontos, apesar dos dados que mostraram que os empréstimos inadimplentes na Espanha atingiram um nível recorde em julho. Bankinter subiu 2,7% e BBVA ganhou 2,6%. As incertezas com relação à decisão do Fed limitaram as altas, mas operadores afirmaram que o mercado dificilmente será afetado negativamente, a menos que Bernanke aja agressivamente para interromper as compras de bônus. A varejista Inditex teve alta de 0,8% depois de anunciar resultados fortes no primeiro semestre deste ano.

A Bolsa de Milão fechou com alta de 0,30%, aos 17.804,70 pontos, enquanto os membros do Parlamento debatiam se o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi deve ou não perder seu assento no Senado. Intesa Sanpaolo avançou 1,36%. A Bolsa de Lisboa subiu 0,60%, para 5.971,18 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropaFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.