Bolsas da Europa recuam com Fed e referendo na Escócia

As bolsas europeias contabilizaram mais uma sessão de perdas, com os investidores ainda demonstrando cautela diante da reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que começa nesta terça-feira, 16, e do referendo de independência na Escócia, que acontece na quinta-feira, 18.

FRANCINE DE LORENZO, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES, Estadão Conteúdo

16 de setembro de 2014 | 14h17

A aversão a risco, que motivou as vendas de ações nos mercados europeus, tem por base as incertezas em relação aos impactos na Europa das esperadas mudanças na economia americana, além dos temores de divisão do Reino Unido. As preocupações com o que virá ofuscaram os resultados positivos das economias da zona do euro.

O crescimento dos salários entre os 18 países que compartilham o euro recuperou-se nos três meses até junho, assim como os custos totais do trabalho. A agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, informou que os salários dos trabalhadores tiveram crescimento de 1,2% no segundo trimestre, em relação ao mesmo período de 2013, após elevação anual de 1,0% nos três meses até março. Custos totais do trabalho - que incluem impostos e outros encargos para os empregadores - aumentaram 1,2%, tendo subido 0,6% no trimestre anterior.

Na Alemanha, maior economia da zona do euro, o índice ZEW de expectativas econômicas baixou para 6,9 em setembro, quando o esperado era recuo a 5,0. Em agosto, o indicador marcava 8,6.

Na Bolsa de Frankfurt, o índice Dax recuou 0,28%, para 9.632,93 pontos; em Paris, o CAC-40 caiu 0,44%, para 4.409,15 pontos; e em Londres, o FTSE-100 teve retração de 0,18%, para 6792,24 pontos. Já em Madri, o Ibex-35 caiu 0,39%, para 10.798,70 pontos, enquanto em Lisboa o PSI-20 recuou 0,08%, para 5.818,13 pontos e, em Milão, o FTSE-MIB perdeu 0,30%, aos 20.788,50 pontos. Na Bolsa de Moscou, o índice Micex subiu 1,59%, para 1.477,31 pontos. Segundo analistas, a nova rodada de sanções à Rússia já foi precificada pelos investidores.

As ações da Lufthansa baixaram 0,71% em Frankfurt, mesmo após os pilotos da companhia desistirem de uma greve que estava programada para hoje. Em Paris, as ações da Airbus subiram 0,31% depois que a empresa informou que sua unidade de defesa e espaço irá vender seus negócios de comunicação, algumas subsidiárias e participações em outras companhias para impulsionar suas operações.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valoresEuropaFedEscócia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.