Bolsas da Europa recuam, mas garantem 4ª semana de alta

Recuo ocorreu após dados que mostraram que a economia americana cresceu menos que o esperado no último trimestre

Reuters,

26 de março de 2010 | 14h07

As principais bolsas europeias fecharam em baixa nesta sexta-feira, 26, com o setor farmacêutico recuando ante ganhos recentes e empresas ligadas à energia perdendo na esteira da baixa do preço do petróleo. O recuo ocorreu diante de dados que mostraram que a economia dos Estados Unidos cresceu menos que o esperado no último trimestre.

O índice FTSEurofirst 300, que acompanha as principais empresas do continente, caiu 0,62%, aos 1.076 pontos, depois de atingir a máxima em 18 meses na véspera. Na semana, o índice acumulou ganho de 1%, fechando a quarta semana seguida de valorização.

Analistas afirmaram que o recuo desta sexta-feira ocorreu após um período de altas, mas alguns analistas disseram que o mercado parece caro agora.

"É provável que o fluxo de notícias agora seja decepcionante, comparado com o alto nível de expectativas", disse Tammo Greetfeld, estrategista de ações no Unicredit Group. "O mercado se beneficiou de um alívio com a União Europeia concordando em apoiar os mecanismos de ajuda para a Grécia. Mas os principais motivos das tensões ainda não estão resolvidos."

As farmacêuticas tiveram um dos piores desempenhos, revertendo os ganhos modestos de sessões anteriores. A GlaxoSmithKline, Novartis, Roche e Sanofi-Aventis caíram entre 1,1% e 1,9%.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em baixa de 0,43%, a 5.703 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,21%, para 6.120 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 recuou 0,29%, para 3.988 pontos. Em Milão, o índice Ftse/Mib encerrou em alta de 0,13%, a 23.063 pontos. Em Madri, o índice Ibex-35 registrou desvalorização de 0,18%, para 11.071 pontos. Em Lisboa, o índice PSI20 teve variação positiva de 0,44%, para 8.103 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
EuropamercadobolsasLondresGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.