Bolsas da Europa sobem com resultados de empresas

As principais bolsas européias fecharam em alta, com ganhos das ações dos setores de mineração, petróleo e gás contrabalançando a debilidade dos papéis do setor automotivo. O índice FT-100, da Bolsa de Londres, terminou com elevação de 25,9 pontos (0,44%), em 5.877,1 pontos. As ações da Reuters subiram 5,10%, depois de a empresa divulgar resultados. As do banco Northern Rock, que também divulgou balanço, avançaram 7,79%. As da GlaxoSmithKline, do setor farmacêutico, caíram 1,50%, em reação a seu informe de resultados. No setor de mineração, os papéis da Xstrata avançaram 0,49%, depois de o Ministério da Indústria do Canadá dizer que aprova a aquisição da Falconbridge. No setor de tecnologia, as ações da Wolfson Microelectronics, fornecedora de chips para o iPod da Apple, tiveram ganho de 2,5%, em reação a seu informe de resultados; as da CSR, que produz chips para aparelhos Bluetooth, avançaram 3,8%, também depois da divulgação de resultados. Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 subiu 9,88 pontos (0,20%), em 4.943,00 pontos. A expansão foi liderada pelas ações da CapGemini, do setor de tecnologia, que avançaram 2,04% depois de elevação de recomendação pelo Citigroup. As da Total subiram 1,55% e as da PPR +1,48%; ambas divulgam resultados amanhã. As ações da Peugeot-Citroën caíram 10,11%, em reação a seu informe de resultados e a um alerta de queda nos lucros no segundo semestre. As da STMicroelectronics recuaram 3,08%, depois de a empresa rebaixar sua projeção de receita. O índice Xetra-DAX da Bolsa de Frankfurt encerrou com elevação de 17,34 pontos (0,31%), em 5.583,10 pontos. "O mercado não tinha uma tendência definida nesta quarta-feira e foi movido por algumas ações", disse um operador. As ações da Infineon, do setor de tecnologia, caíram 2,31%. As da Lufthansa recuaram 1,02%, apesar de seu resultado preliminar do primeiro semestre ter superado as previsões. Entre os destaques positivos do pregão estava ThyssenKrupp, do setor siderúrgico, com alta de 2,35%. No setor de turismo e logística, os papéis da TUI avançaram 1,95%, em meio a rumores de uma oferta de aquisição pela dinamarquesa AP Moller-Maersk. Na Bolsa de Milão, o índice S&P-Mib terminou em alta de 171 pontos (0,47%), em 36.206 pontos. Operadores disseram que o mercado italiano acompanhou as elevações de outras Bolsas européias, com destaque para as ações do setor de energia (Saipem +4,20%, após divulgação de resultados; ENI +0,99%). As da Autogrill, que também divulgou resultados, subiram 2,31%. As da Telecom Italia recuaram 1,31%, depois de rebaixamentos de recomendação pelo JP Morgan e pelo UBS. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou com ganho de 23,30 pontos (0,20%), em 11.635,20 pontos, em dia rico em informes de resultados e notícias sobre fusões e aquisições. As ações da Indra subiram 2,38%, depois de a empresa anunciar que está negociando a compra da Soluziona. As da FCC avançaram 0,92%, em reação à notícia da aquisição da construtora austríaca Alpine. As da Gas Natural recuaram 0,25%, devido a incertezas sobre sua oferta para a aquisição da Endesa, apesar de seu lucro do segundo trimestre ter superado as previsões. Também divulgaram resultados BBVA (variação zero), Cintra (-0,29%) e Telefónica Móviles (+0,10%). Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 terminou em 37,25 pontos (0,39%), em 9.595,79 pontos. As ações do Banco Comercial Português subiram 0,45%, em reação a seu informe de resultados. As da Brisa, que divulgaria resultados depois do fechamento, subiram 0,13%. As da Energias de Portugal, que divulga resultados nesta quinta-feira, avançaram 1,33%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.