Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bolsas da Europa têm alta, com Madri em nível recorde

Os mercados de ações da Europa fecharam em alta, em reação ao noticiário sobre fusões e aquisições no setor de energia elétrica e com a recuperação das ações do setor de mineração. Operadores disseram que outros fatores positivos foram a alta das bolsas norte-americanas e os sinais de que a economia dos EUA caminha para um "pouso suave". Algumas ações reagiram à divulgação de informes de resultados, como as da rede de lojas Hennes & Mauritz, com alta de 6,2% em Estocolmo, e as da Wolters Kluwer, do setor de mídia, com alta de 4,4% em Amsterdã. Segundo operadores, amanhã os mercados estarão atentos à revisão final dos dados do PIB dos EUA no segundo trimestre. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 56,5 pontos, ou 0,96%, em 5.930,1 pontos. As ações do setor de mineração subiram, depois de a Goldman Sachs observar que elas haviam caído 17%, em média, desde o começo de setembro (Anglo American tiveram ganho de 3,64%, Antofagasta avançou 3,46%, BHP Billiton subiu 3,37% e Rio Tinto registrou valorização de 2,79%). "Vemos as quedas recentes como oportunidade para compra, à medida que os fundamentos continuam fortes. Esperamos que a demanda chinesa continue a ser sustentada pelos investimentos em infra-estrutura e que a oferta continue apertada", escreveram os analistas da Goldman Sachs sobre o setor de mineração. Ainda no setor de metais, as ações da Johnson Matthey subiram 2,36%, em reação a seu informe de resultados. As ações do setor de petróleo também subiram, em reação à recuperação dos preços do produto (BP ganhou 1,40%, Cairn Energy subiu 1,42% e Shell avançou 1,94%). No setor de seguros, as ações da Standard Life recuaram 2,36%, em reação a seu informe de resultados. Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 23,51 pontos, 0,45%, em 5.243,10 pontos. "Os investidores estão de ótimo humor, e nós também", disse um operador, referindo-se aos indicadores norte-americanos e ao noticiário sobre fusões e aquisições na Europa. As ações da Prugeot-Citroën subiram 5,33%, depois de a empresa anunciar um plano de reestruturação; as da Renault avançaram 0,62%, com o prosseguimento de suas conversações com a General Motors para uma possível aliança. As da Pinault Printemps-Redoute subiram 2,45%, em meio a especulações de que a empresa poderá vender a rede de livrarias Fnac. No setor siderúrgico, as ações da Arcelor-Mittal avançaram 3,47%, após a empresa divulgar sua política de dividendos e sua estratégia para o longo prazo. Frankfurt Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX terminou o dia em alta de 29,08 pontos, ou 0,49%, em 5.989,71 pontos. Um operador disse que o desempenho do mercado hoje indica que o foco principal dos investidores já não é a perspectiva das taxas de juro, e sim a do crescimento econômico. Outro operador observou que o DAX está para ultrapassar a marca dos 6 mil pontos, o que deverá provocar vendas para realização de lucros; para ele, o índice tem nível de suporte em 5.900 pontos. As ações da indústria de pneus Continental subiram 4,74% e as da siderúrgica ThyssenKrupp avançaram 1,77%; ambas haviam caído muito recentemente. No setor de energia, as ações da RWE obtiveram ganho de 2,39%; as da E.On perderam 1,20%, depois de a empresa elevar sua oferta para a aquisição da espanhola Endesa para 37 bilhões de euros (US$ 47 bilhões). As da Porsche caíram 0,39%, em reação a seu informe de resultados. Milão A Bolsa de Milão encerrou com o índice S&P-Mib em alta de 113 pontos, ou 0,30%, em 38.329 pontos. A alta foi liderada pelas ações do setor de energia elétrica, em reação ao noticiário sobre a disputa para a aquisição da espanhola Endesa; a expectativa é de que aconteça um movimento de consolidação no setor também na Itália (Enel ganhou 0,78%, Hera teve acréscimo de 1,5% e Snam Rete Gas avançou 2,33%). As ações da Tiscali subiram 3,8%, depois de analistas do Citigroup dizerem que a empresa deverá ser beneficiada pela crise na Telecom Itália. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, fechou com ganho de 332,60 pontos, ou 2,64%, em 12.950,00 pontos. O nível de fechamento é o mais alto de todos os tempos, tendo superado o recorde anterior, de 12.816,80 pontos, alcançado em 6 de março de 2000. O setor de energia foi o destaque do pregão. As ações da Iberdrola subiram 14,46%, depois de a construtora ACS, principal acionista da Unión Fenosa, revelar que já controla 10% da empresa; analistas da Dresdner Kleinwort Wasserstein disseram acreditar que esse pode ser um primeiro passo para uma fusão entre a Iberdrola e Unión Fenosa (cujas ações tiveram alta de 1,44%; as da ACS avançaram 4,03%). As ações da Endesa subiram 7,69%, em reação à elevação da oferta da alemã E.On. As ações da Fadesa, do setor imobiliário, valorizaram-se 10,6%, em reação a rumores de uma fusão. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 encerrou o dia em alta de 148,22 pontos, ou 1,47%, em 10.241,05 pontos. As ações da Energias de Portugal subiram 6,21%, acompanhando as altas do setor em outras Bolsas européias. As da Portugal Telecom caíram 0,52% e as da SonaeCom recuaram 2,53%, na falta de novidades sobre a aprovação das autoridades antitruste para a proposta de aquisição da PT pela SonaeCom. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2006 | 15h03

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.