Bolsas da Europa têm leve alta com PIB da zona do euro

Índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,33 ponto, ou 0,11%, para 289,44 pontos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado ,

15 de fevereiro de 2011 | 16h40

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta, impulsionados por dados que mostraram crescimento da economia da zona do euro no quarto trimestre do ano passado e uma melhora na confiança dos alemães em fevereiro, embora indicadores fracos nos EUA tenham limitado os ganhos.

Segundo a agência de estatísticas europeia (Eurostat), o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro cresceu 0,3% no quarto trimestre, pouco menos do que a expansão de 0,4% esperada por analistas. Em comparação ao quarto trimestre de 2009, o aumento foi de 2%, também inferior à alta de 2,1% prevista. Em todo o ano de 2010, a zona do euro cresceu 1,7%, revertendo contração recorde de 4,1% em 2009.

Além disso, o índice de expectativas econômicas da Alemanha, medido pelo Centro para Pesquisas Econômicas Europeias (ZEW), subiu pelo quarto mês consecutivo em fevereiro, a 15,7 pontos, de 15,4 pontos em janeiro. A leitura ficou abaixo da esperada por analistas consultados pela Dow Jones, de 20 pontos, e também foi inferior à média histórica do índice, de 26,7 pontos.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,33 ponto, ou 0,11%, para 289,44 pontos. Na Bolsa de Londres, o FTSE 100 caiu 23,01 pontos, ou 0,38%, para 6.037,08 pontos. O CAC 40, de Paris, fechou em alta de 13,72 pontos, ou 0,33%, a 4.110,34 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX avançou 3,41 pontos, ou 0,05%, para 7.400,04 pontos. O IBEX, de Madri, subiu 51,50 pontos, ou 0,48%, para 10.826,20 pontos.

Entre os destaques da sessão, as ações do Barclays subiram 5,79% depois de o banco anunciar que obteve um lucro de 3,56 bilhões de libras em 2010, resultado que superou as expectativas de analistas. A instituição, no entanto, alertou que o RoE (retorno sobre o patrimônio, um indicador de lucratividade) não voltará aos níveis observados antes da crise financeira. Outros bancos europeus subiram após a divulgação dos resultados do Barclays, entre eles Credit Agricole (+0,85%), Deutsche Bank (+2,47%) e Lloyds Banking Group (+1,80%).

No setor de mineração, a maior parte dos papéis fechou em baixa, após dados mostrarem que a inflação ao produtor na China foi de 6,6% em janeiro, na comparação com igual período do ano passado. A inflação ao consumidor chinês foi equivalente a 4,9%, na mesma base de comparação. Segundo o diretor de vendas da Capital Spreads, Angus Campbell, isso indicou ao setor que a China deve continuar elevando os juros, medida que pode diminuir levemente o consumo de produtos como metais. Em Londres, a Antofagasta caiu 3,90% e a Xstrata recuou 2,36%.

Em Paris, as ações da Danone subiram 3,34% depois de a companhia anunciar que se lucro em 2010 cresceu 38%, acompanhado por uma expansão de 14% nas vendas. Já a Air France-KLM perdeu 0,73%, depois de seus papéis terem a recomendação rebaixada para "vender", de "comprar", pelo banco UBS.

As ações da Deutsche Boerse fecharam em baixa de 2,41% após a companhia confirmar uma fusão com a NYSE Euronext. Segundo os termos do acordo, os acionistas da Deutsche Boerse controlarão 60% da nova companhia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsasEuropaaltaPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.