Bolsas da Europa terminam com valorização

A maioria das bolsas européias fechou em alta, recuperando-se de uma abertura fraca depois de os mercados norte-americanos iniciarem o dia no positivo. Em Zurique, as ações da Nestlé, que divulga resultados amanhã, subiram 0,9% e as da Lind & Sprüngli subiram 0,8%, em reação a seu informe de vendas do primeiro semestre. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 12,6 pontos (0,11%), em 5.902,6 pontos. As ações do setor de petróleo e gás caíram (BP -0,48%, BG -1,35%, Cairn Energy -0,43%, Shell -0,89%). As da InterContinental Hotels caíram 0,66%, depois de a empresa divulgar resultados; ao contrário dos trimestres anteriores, a companhia não anunciou distribuição de dividendos. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 23,68 pontos (0,46%), em 5.128,33 pontos. A alta foi liderada pelas ações da Alstom, que subiram 4,25% depois de a empresa obter um contrato para construir uma usina de energia nos EUA. As da Lafarge avançaram 1,40%, depois de o jornal La Tribune informar que 12 fundos de investimento e um grupo industrial têm interesse em comprar sua unidade de telhados. As da EADS, do setor aeroespacial e militar, caíram 0,97%, devido a temores de que a queda do dólar em relação ao euro prejudique suas vendas. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em alta de 23,58 pontos (0,41%), em 5.818,41 pontos. O mercado recuperou terreno no fim do dia, depois de recuar em reação ao fraco índice de confiança do instituto ZEW e ao indicador de encomendas à indústria da zona do euro, que ficou abaixo das previsões. Um operador disse ser importante, do ponto de vista técnico, que o DAX tenha fechado acima dos 5.800 pontos. Outro operador advertiu contra dar muita importância à alta de hoje, por causa dos volumes reduzidos; ele vê nível de resistência entre 5.850 e 5.860 pontos e de suporte em 5.790 pontos. As ações da TUI, do setor de turismo, subiram 1,09%, em reação a mudanças em seu comando. As da Volkswagen caíram 1,69%, em reação ao noticiário sobre a greve de seus funcionários no Brasil. O índice S&P-Mib, da Bolsa de Milão, fechou em alta de 142 pontos (0,38%), em 37.581 pontos. Os volumes foram reduzidos, com muitos participantes do mercado em férias. As ações da AEM subiram 1,39%, em meio a especulações sobre mais consolidação no setor de utilidades públicas na Europa. As da Alitalia caíram 0,86%, com a diminuição das esperanças de uma fusão com a Air France/KLM. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em alta de 25,90 pontos (0,21%), em 12.080,80 pontos. O índice recuou da máxima de 12.121 pontos devido à fraca pesquisa de confiança ZEW divulgada na Alemanha e refletindo as tensões em torno do programa nuclear do Irã. As ações da Sogecable subiram 0,99%, com o fim da indefinição sobre seus direitos de transmissão de partidas de futebol. As da NH Hoteles caíram 2,75%, devido à realização de lucros, depois da forte alta de ontem. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 41,85 pontos (0,42%), em 9.903,79 pontos. O mercado recuperou-se da queda de ontem. As ações da SonaeCom subiram 2,55%, devido à convicção dos investidores de que as autoridades reguladoras deverão aprovar sua oferta pela Portugal Telecom (cujas ações subiram 0,62%). As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.