Bolsas de Londres e Paris fecham nas máximas do ano

As principais bolsas européias fecharam em alta, estimuladas pelo aumento dos preços do petróleo na negociação eletrônica durante a noite, que ajudou o setor energético. As ações da francesa Total subiram 1,1%, as da espanhola Cepsa avançaram 1,1%, a britânica BP ganhou 0,64%, e a norueguesa Statoil fechou em alta de 2,3%. Os ganhos do setor bancário também ajudaram os mercados. Destaque para as ações do banco alemão HVB, que dispararam 4,9% após o acionista majoritário Unicredit ter anunciado que planeja comprar as ações dos investidores minoritários. Londres Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em alta de 87,2 pontos, ou 1,40%, em 6.314,8 pontos. As mineradoras e o setor bancário contribuíram para o melhor desempenho do índice inglês no ano, com o mercado influenciado pela alta das commodities e a divulgação da ata da última reunião do Banco da Inglaterra, que diminuiu as expectativas de uma nova alta na taxa de juros. As mineradoras foram destaque, como foi o caso da Vedanta Resources (5,8%), e Kazakhmys (4,8%), após relatório positivo do Credit Suisse. As ações da BHP Billiton subiram 2,77% e as da Rio Tinto avançaram 3,76%. O setor bancário subiu, reagindo à ata do BC: Northern Rock (4,1%), HBOS (2,5%), Royal Bank of Scotland (2,8%) e Alliance & Leicester (2,5%). Paris O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, encerrou com ganho de 63,01 pontos, ou 1,13%, em 5.638,08 pontos, a nova máxima de 2007. Os papéis da empresa de telefonia Bouygues lideraram os ganhos das blue chips (ações de primeira linha), com alta de 4,5% após elevação na recomendação do Merrill Lynch, de neutro para compra. As ações da Mittal Steel avançaram 4,4% com aumento das projeções para os preços do aço no primeiro semestre. Já os papéis da STMicroelectronics caíram 0,4% após o anúncio ontem à noite de ganhos fracos no quarto trimestre. Frankfurt Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou com valorização de 69,44 pontos, ou 1,04%, em 6.748,37 pontos. Destaque para as ações da Siemens, que avançaram 1,8%. Mesmo com a decisão de hoje da Comissão Européia de aplicar uma multa antitruste de 419 milhões de euros na companhia, o banco de investimentos Oppenheim manteve a recomendação de compra para as ações da Siemens. Os papéis da fabricante de caminhões MAN subiram 3,2% com os investidores reagindo bem à retirada da oferta pela sueca Scania ontem, segundo operadores. As ações da gigante do software SAP recuaram 6,5% após previsões da empresa de uma margem de lucro decepcionante. Madri O índice Ibex-35, da Bolsa de Madri, terminou o dia com acréscimo de 172,1 pontos, ou 1,20%, em 14.540,7 pontos. A alta foi liderada pelas ações da Acciona, que avançaram 4% em meio à crescente especulação de ofertas maiores pela Endesa, que também subiram 0,52%. A Acciona é a maior acionista da Endesa. Os papéis da Enagas ganharam 3,5%, após a aprovação pela comissão executiva do novo chairman da empresa, Antonio Llarden, nome que foi bem recebido pelo mercado após a renúncia de Antonio Gonzalez-Adalid. Entre as quedas, destaque para as ações da Iberia, que recuaram 1,3%, devolvendo alguns dos ganhos recentes. Lisboa Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 49,93 pontos, ou 0,43%, em 11.546,56 pontos. Os papéis da Energias de Portugal subiram 0,5% após o aumento do preço-alvo pela Caixa. As ações do Banco BPI avançaram 1,5% com a expectativa da divulgação amanhã dos resultados de 2006. Portugal Telecom ganhou 0,2% e SonaeCom subiu 0,2%. As informações são da Dow Jones e do Financial Times.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.