Bolsas de Londres e Paris testam máximas em 6 anos

A Bolsa de Londres opera em alta hoje e atingiu a máxima dos últimos seis anos, com o setor de varejo em destaque. As ações da Morrison e da Tesco subiram mais de 2%, influenciadas por expectativas de fusão no setor depois de circularem informações sobre o interesse de um grupo privado na rede J. Sainsbury, a terceira maior rede de supermercados do Reino Unido. As ações do grupo bancário Lloyds TSB também atraíram a atenção dos investidores, em reação à melhora em sua recomendação pelo banco Crédit Suisse. Os papéis do Lloyds subiram mais de 1%. Na contramão estavam os papéis da British Petroleum, cujas ações caíram 1,8% após informar queda de 22% em seu lucro no quarto trimestre, atingida por retração nas margens no varejo e de refino, queda na produção e nos preços do gás. O lucro caiu para US$ 2,88 bilhões ou US$ 1,21 por ação. As demais bolsas européias também registravam desempenho positivo. Em Paris, o índice CAC-40 aproximou-se da máxima de 5.700 pontos atingida em maio de 2001, chegando a 5.698,72 pontos na máxima do dia hoje, até o final da manhã. Entre as ações em destaque estão os papéis da Areva, somando valorização superior a 5%, depois de a Total expressar interesse em energia nuclear. Os papéis da montadora Peugeot avançaram mais de 1%, na expectativa da apresentação amanhã de um novo diretor-executivo. Às 11h27 (de Brasília), o índice FT-100, de Londres, subia 0,59% para 6.355 pontos, na máxima do dia até este horário. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, operava em alta de 0,30%, em 5.698 pontos; e o índice Xetra-DAX, da Bolsa de Frankfurt, registrava valorização de 0,38%, para 6.900 pontos. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.