Bolsas de Londres, Frankfurt e Milão encerram em baixa

A maioria das Bolsas européias fechou em leve baixa, depois da abertura em queda dos mercados norte-americanos. Pelo segundo dia consecutivo, as ações do setor de telecomunicações caíram. "O alerta de queda nos lucros feito ontem pela Deutsche Telekom dá apoio à posição do setor 'underweight' (com performance abaixo da média do mercado) e indica uma possibilidade maior de outros alertas de baixa nos lucros", disseram os analistas da Bear Stearns. Na Bolsa de Londres, o índice FT-100 fechou em queda de 3,3 pontos (0,06%), em 5.820,1 pontos. Além da influência da abertura negativa das Bolsas dos EUA, operadores atribuíram a queda ao informe de resultados decepcionantes da Schroders, do setor financeiro, e às preocupações quanto à lucratividade da Vodafone, do setor de telecomunicações. As ações da Schroders caíram 9,45%; as da Vodafone recuaram 1,79%, depois de rebaixamento de recomendação pelo ABN Amro e pelo JP Morgan, um dia depois da divulgação do informe de resultados da Deutsche Telekom. As ações da British Airways, a companhia aérea mais afetada pelo alerta antiterrorismo no Reino Unido, recuaram 0,07%. Na semana, o FT-100 acumulou uma queda de 1,18%. Entre as empresas que divulgarão resultados na próxima semana estão British Land e WPP Group. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, fechou em alta de 8,88 pontos (0,18%), em 4.985,52 pontos. O mercado reagiu positivamente aos dados preliminares do PIB da França no segundo trimestre (crescimento de 1,1% a 1,2%). A alta foi liderada pelas ações da indústria de pneus Michelin, que subiram 2,33% depois de a empresa anunciar aumentos de preços. As ações da seguradora AGF subiram 2,06%, em reação a seu informe de resultados; outras ações do setor financeiro também subiram (AXA +0,97%, BNP Paribas +1,00%). As ações da EADS, que fabrica os aviões Airbus, caíram 3,56%, em reação aos alertas antiterrorismo. As da France Telecom recuaram 1,50%, em reação ao alerta de queda nos lucros da Deutsche Telekom. As da Air France/KLM subiram 0,52%, recuperando-se da queda de ontem. Na semana, o CAC acumulou uma queda de 1,10%. Na próxima semana, o mercado estará atento ao informe de resultados da Avenir Telecom, na quinta-feira. Na Bolsa de Frankfurt, o índice Xetra-DAX fechou em baixa de 2,59 pontos (0,05%), em 5.628,37 pontos. Um analista técnico disse que, tendo em vista a preocupação global com terrorismo e os informes de resultados decepcionantes de algumas empresas alemãs importantes, o DAX provavelmente não subirá acima dos 5.700 pontos nos próximos dias. As ações da ThyssenKrupp caíram 7,68%, depois da renúncia de seu executivo-chefe e do anúncio de um plano de investir ? 500 milhões na produção de aço. As da Deutsche Telekom caíram 2,95%. As da Lufthansa subiram 0,49%. Na semana, o DAX acumulou uma queda de 1,65%. Entre as empresas que divulgarão resultados na próxima segunda-feira está Hochtief (cujas ações caíram 1,09% hoje). Entre os informes de resultados que serão divulgados ao longo da semana estarão também Deutsche Bahn, Dresdner Bank, Deutz, E.On e IKB Deutsche Industriebank. O índice S&P-Mib, da Bolsa de Milão, fechou em queda de 7 pontos (0,02%), em 36.644 pontos. O informe de que o PIB da Itália cresceu 0,5% no segundo trimestre, como se previa, não teve impacto no mercado. Os volumes foram reduzidos. As ações da Fastweb caíram 2,41%, devido à realização de lucros. As da Alitalia recuaram 0,35%. Na semana, o S&P-Mib acumulou uma queda de 0,68%. Na Bolsa de Madri, o índice Ibex-35 fechou em queda de 33,10 pontos (0,28%), em 11.777,30 pontos. As ações da Ferrovial caíram 1,06% e as da Iberia recuaram 0,53%, em reação ao alerta antiterrorismo. As da Telefónica recuaram 1,30%, depois do alerta de queda nos lucros da Deutsche Telekom. Analistas da Noesis disseram que o mercado espanhol deverá operar "de lado" na próxima semana; para eles, o Ibex tem nível de suporte em 11.700 pontos e de resistência em 11.935 pontos. Nesta semana, o índice acumulou uma queda de 1,35%. Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI-20 fechou em alta de 1,96 ponto (0,02%), em 9.791,63 pontos. As ações da Portugal Telecom caíram 0,30%, apesar do informe de que a mexicana Telmex ampliou sua participação acionária na empresa. As do banco Comercial Português subiram 0,44% e as da Energias de Portugal fecharam no mesmo nível de ontem. "Vimos uma leve correção à tarde, mas ainda esperamos um movimento de alta no curto prazo", disse um analista. Na semana, o PSI-20 acumulou uma alta de 0,41%. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

11 de agosto de 2006 | 14h42

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.