Bolsas de Nova York abrem em alta com balanços e Fed

Às 10h35, Dow Jones ganhava 0,24%, Nasdaq subia 0,41% e o S&P 500 avançava 0,47%

Luciana Xavier, da, Agência Estado

28 de abril de 2010 | 10h33

O medo de colapso financeiro da Grécia e contágio para outros países da Europa parece ter sido contido por balanços nos Estados Unidos e expectativa da reunião do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), o que possibilitou uma abertura positiva das bolsas de Nova York. Às 10h35 (de Brasília), o Dow Jones ganhava 0,24%, o Nasdaq subia 0,41% e o S&P 500 avançava 0,47%.

Diante do cenário, o Fundo Monetário Internacional (FMI) poderá aumentar o socorro financeiro à Grécia em 10 bilhões de euros (US$ 13 bilhões), de acordo com reportagem de hoje no Financial Times, elevando o montante total da ajuda para além dos 45 bilhões de euros no primeiro ano anunciados inicialmente. Além disso, a zona do euro poderá dar ao país até 30 bilhões de euros em empréstimos com taxas abaixo das praticadas no mercado. Para acalmar rumores de que a Grécia poderia declarar calote, os 16 países que compõem a zona do euro anunciaram hoje também que não vão permitir que isso ocorra. Com tanta turbulência, o órgão regulador do mercado da Grécia anunciou a proibição de todas as vendas a descoberto no mercado de ações de Atenas pelos próximos dois meses.

Investidores temem que Portugal, Espanha e Irlanda sigam pela mesma estrada da Grécia e não consigam empréstimos para financiar os gastos do governo. "É como o Lehman Brothers e o Bear Stearns. Não diz respeito tanto aos seus fundamentos, mas sim à má vontade do mercado de financiar você", disse o professor Philip Lane, do Trinity College na Irlanda, ao The New York Times.

Na agenda dos EUA, o foco é a decisão de política monetária do Fed, por volta das 15h15 (de Brasília). Analistas esperam que os Fed Funds continuem entre zero e 0,25% ao ano. "Até que o mercado de trabalho mostre um crescimento firme nos próximos meses, o Fed deve seguir preocupado com as perspectivas de retomada sustentável em 2010", avalia a organização de pesquisas Ideaglobal, em nota divulgada a investidores. De acordo com a nota, é provável que o Fed ainda mantenha nesta reunião a frase sobre manter os juros baixos "por um período prolongado".

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.