Bolsas de Nova York abrem em queda

As Bolsas de Nova York abriram em baixa. O índice Dow Jones caía 0,30% às 10h37 e o Nasdaq cedia 0,39%. A realização de lucros é provocada pela perspectiva da divulgação de vários indicadores econômicos importantes, a alta do petróleo e a tensão no Oriente Médio. Hoje, a agenda de indicadores é relativamente fraca, em comparação aos demais dias da semana. Entre os eventos, logo cedo já discursou o presidente do Fed de Saint Louis, William Poole, que não é membro com direito à voto do Comitê de Mercado Aberto (FOMC). Poole disse estar dividido sobre a decisão que o FOMC tomará na semana que vem em relação à taxa de juro. Segundo ele, os números divulgados sobre a economia desde a última reunião de política monetária são negativos no que diz respeito ao crescimento e aos preços. A inflação, disse a autoridade monetária, é atingida por uma pressão superior à inicialmente prevista e o Fed deverá fazer o que for necessário para contê-la. Às 12h45 (de Brasília), será a vez Janet Yellen, presidente do Fed de San Francisco, que falará sobre as condições da economia e política monetária durante evento na Golden Gate University, em San Francisco. No noticiário corporativo, os destaques ficaram por conta da Phelps Dodge, cuja recomendação foi elevada pela Prudential. Suas ações subiram 5,5% no pré mercado, depois de a canadense Teck Cominco acirrar a disputa com a mineradora de cobre norte-americana ao elevar sua oferta pela mineradora de níquel Inco. Os papéis da Sandisk Corp subiram 11,9%, depois de ter concordado em adquirir Msystems Ltd, companhia israelense de arquivamento de dados, por cerca de US$ 1,55 bilhão. As ações da Apple Computer avançaram 2%, com a elevação em sua recomendação para compra de neutro pelo Bank of America, citando forte demanda por McBooks e iPod. As informações são da Dow Jones e das agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.