Bolsas de Nova York acumulam alta em outubro

O Dow Jones caiu 2,26%, mas encerrou outubro com um ganho mensal de 9,54%, o terceiro maior em sua história de 115 anos em termos porcentuais

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

31 de outubro de 2011 | 19h07

Os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam em baixa, diante das dúvidas dos investidores sobre a eficácia do plano europeu para lidar com a crise das dívidas soberanas da região. O pedido de concordata da MF Global também contribuiu para azedar o humor do mercado.

"As dúvidas parecem ter voltado ao mercado", disse Jim Dunigan, gerente-executivo de investimentos da PNC Wealth Management. "Não vamos resolver os problemas da Europa sacudindo a varinha mágica e esperando que tudo termine", acrescentou.

Na semana passada, os investidores comemoraram as propostas da Europa para combater os problemas que atingem a região, que giravam em torno de reduzir a dívida da Grécia, aumentar o poder de fogo do fundo europeu anticrise e recapitalizar os bancos europeus. Hoje, porém, o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou, pediu um referendo a respeito do assunto, algo que pegou os investidores de surpresa.

"Obviamente estamos muito sensíveis em relação ao mercado europeu", disse Stephen Leur, operador da X-FA Trading. "Talvez o acordo esteja sob ameaça ou talvez não seja algo tão concreto. Dúvidas de qualquer natureza definitivamente nos deixarão com um pé atrás."

O Dow Jones caiu 276,10 pontos, ou 2,26%, para 11.955,01 pontos. Todos os componentes do índice fecharam o pregão no vermelho. Apesar disso, o Dow Jones encerrou outubro com um ganho mensal de 9,54%, o terceiro maior em sua história de 115 anos em termos porcentuais. O Nasdaq perdeu 52,74 pontos, ou 1,93%, para 2.684,41 pontos, mas subiu 11,14% em outubro. O S&P 500 teve declínio de 31,79 pontos, ou 2,47%, para 1.253,30 pontos, mas acumulou ganho de 10,77% no mês - seu melhor desempenho mensal desde dezembro de 1991, segundo a consultoria Birinyi Associates.

"As pessoas estão percebendo que, diante da alta do mercado neste mês, é prudente retirar algumas fichas da mesa", disse Maury Fertig, diretor de investimentos da Relative Value Partners.

Entre os destaques da sessão, as ações da MF Global deixaram de ser negociadas depois de a corretora ter entrado com um pedido de concordata em Nova York. Na sexta-feira, os papéis da companhia haviam caído 16%, para US$ 1,20, acumulando declínio de 71% em outubro e de 86% em 2011.

No mercado de Treasuries, os preços subiram, com respectivo movimento inverso dos juros, igualmente afetados pelas dúvidas sobre a sustentabilidade do plano anticrise da zona do euro. "Voltamos à realidade. Ainda não temos os detalhes (da proposta)", disse Marc Ostwald, estrategista da Monument Securities.

No final da tarde em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 3,146%, de 3,372% na sexta-feira; o juro das T-notes de 10 anos estava em 2,134%, de 2,320%; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,250%, de 0,297%. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.