Bolsas de Nova York apagam ganhos após dados

Os índices referenciais de Nova York perdem vigor, mesmo após a divulgação de um dado mostrando que os consumidores norte-americanos estão mais otimistas. As perdas foram aprofundadas após a divulgação do índice de atividade da Associação dos Gerentes de Compra de Chicago, que mostrou queda da atividade e alta forte dos preços pagos. O índice Dow Jones apagou a alta e recuava 0,06% às 11h39, acompanhando a deterioração do Nasdaq (-0,21%), que foi mais veloz. A Universidade de Michigan informou para assinantes que seu índice de sentimento do consumidor final de junho avançou para 84,9. A mediana das previsões de 19 economistas ouvidos pela Dow Jones era 82,4, mesmo nível da pesquisa preliminar de junho. Mas se a disposição para consumo segue firme, outros dados provocam apreensão. A Associação dos Gerentes de Compras de Chicago, por sua vez, informou recuo para 56,5 em seu índice de atividade industrial regional de junho. Economistas citados pela Dow Jones projetavam baixa do índice para 59,0 em junho, de 61,5 em maio. A queda da atividade veio associada à elevação dos preços. O índice de preços pagos do relatório de junho subiu de 76,9 para 89 em junho, maior nível em 18 anos. Divulgado mais cedo, o núcleo do índice de preços dos gastos com consumo (PCE) em maio avançou 0,2%, ante abril, e 2,1% no ano. O dado confirmou as expectativas dos analistas, mas a variação anual segue acima da zona de conforto do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) para inflação - de 1% a 2%. Ontem, o Fed anunciou o 17º aperto monetário na taxa dos Fed Funds para 5,25% ao ano e emitiu um comunicado considerado suave por indicar que o atual ciclo de aperto pode estar se avizinhando do fim. No entanto, destacou que esse fim estaria ligado ao impacto vindo do esfriamento do setor imobiliário e dos preços no crescimento. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.