Bolsas de Nova York fecham em alta

Dow Jones subiu 0,09%, Nasdaq teve ganho de 0,15% e o S&P 500 avançou 0,10%

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

29 de dezembro de 2010 | 19h39

Os principais índices acionários dos EUA fecharam em alta, recebendo um leve impulso da depreciação do dólar, que tornou as ações denominadas na divisa norte-americana mais baratas e atraentes para os investidores que detêm outras moedas.

O índice Dow Jones subiu 9,84 pontos, ou 0,09%, para 11.585,38 pontos. As ações do McDonald''s tiveram o melhor desempenho entre os componentes do índice, fechando em alta de 0,73%, seguidas por Walt Disney (+0,64%) e Walmart (+0,63%). O Nasdaq teve ganho de 4,05 pontos, ou 0,15%, para 2.666,93 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 1,27 ponto, ou 0,10%, para 1.259,78 pontos.

A Sears Holdings subiu 6,38%. Nessa semana, a companhia anunciou um novo serviço de download de filmes em parceria com a Sonic Solutions, que teve alta de 1,21% em suas ações.

O Dow Jones acumula até o momento ganho de aproximadamente 11% em 2010. O S&P 500 subiu 13% até agora e o Nasdaq quase 18%. As ações de menor capitalização avançaram ainda mais, com um aumento de 26% no índice Russell 2000, que reúne esses papéis. Quase todos esses ganhos ocorreram no segundo semestre deste ano.

"No fim das contas, os mercados tiveram um ano bom", disse Mitch Rubin, executivo-chefe de investimentos da RiverPark Advisors. Segundo ele, o declínio das bolsas no início do ano e o "flash crash" ocorrido em maio só acrescentaram volatilidade ao mercado, mas não prejudicaram o desempenho dos índices.

No mercado de Treasuries (títulos do Tesouro dos EUA), os juros dos títulos caíram diante da forte demanda observada em um leilão de US$ 29 bilhões de T-notes de sete anos. Os títulos foram vendidos com um yield (taxa de retorno) de 2,83%, taxa menor que a de 2,85% oferecida no mercado pouco antes da operação. Isso indica que a procura pelas T-notes foi forte o suficiente para que os bônus fossem vendidos com um leve prêmio, visto que os preços dos Treasuries se movem na direção oposta dos yields.

Além disso, as ofertas indiretas - que representam a demanda de investidores estrangeiros, inclusive de bancos centrais - foram responsáveis por 64% das vendas, ante a taxa média de 49,9% observada nos quatro leilões anteriores de T-notes de sete anos.

"Foi um leilão muito, muito bom. A onda de vendas de ontem foi uma bênção disfarçada para o leilão de T-notes de sete anos", disse Mary Ann Hurley, vice-presidente de negociações da D.A. Davidson & Co. "Os yields estavam bons e apareceram compradores", acrescentou.

No final da tarde em Nova York, o juro projetado pelos T-bonds de 30 anos estava em 4,424%, de 4,533% na terça-feira; o juro das T-notes de 10 anos estava em 3,348%, de 3,496%; o juro das T-notes de 2 anos estava em 0,628%, de 0,755%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaq

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.