Bolsas de Nova York fecham em direções divergentes

Índices refletiram mudança na expectativa em relação ao novo programa de afrouxamento quantitativo do Federal Reserve

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 19h35

Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em direções divergentes, digerindo uma nova expectativa para o potencial programa de afrouxamento quantitativo do Federal Reserve (Fed, banco central americano) e à espera de outros eventos importantes para o mercado que ocorrerão na próxima semana.

O Dow Jones caiu 43,18 pontos, ou 0,39%, para 11.126,28 pontos. Contribuíram para o declínio do índice a queda nas ações da Merck (-1,65%), do McDonald''s (-1,63%) e da Alcoa (-1,32%), embora o avanço do Bank of America (+2,12%) e da American Express (+1,45%) tenha ajudado a limitar as perdas. O Nasdaq subiu 5,97 pontos, ou 0,24%, para 2.503,26 pontos, enquanto o S&P 500 recuou 3,19 pontos, ou 0,27%, para 1.182,45 pontos.

A ConocoPhillips - que faz parte do S&P 500 - divulgou que seu lucro do terceiro trimestre mais que dobrou na comparação com o resultado obtido em igual período do ano passado, impulsionado pelo aumento nos preços das commodities e por um ganho nas margens de refino. As ações da companhia, no entanto, caíram 1,22%.

Os índices acionários passaram grande parte da sessão mergulhados no território negativo, refletindo a aparente mudança na expectativa do mercado em relação ao potencial novo programa de afrouxamento quantitativo do Federal Reserve após uma reportagem publicada pelo Wall Street Journal nesta quarta-feira afirmar que o banco central norte-americano provavelmente anunciará um plano de compra de Treasuries de bilhões de dólares - e não de trilhões de dólares, como aquele que foi adotado pela instituição durante a crise financeira.

Recentemente, o presidente do Federal Reserve de Saint Louis, James Bullard, defendeu uma estratégia semelhante para um eventual programa de afrouxamento quantitativo. Segundo ele, o banco central poderia começar anunciando a aquisição de US$ 100 bilhões em Treasuries na semana que vem, em 3 de novembro, atrelando um eventual aumento no volume de compras de bônus às avaliações futuras das autoridades sobre a situação da economia. Bullard possui direito a voto no comitê de política monetária do Fed. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.