Bolsas de Nova York iniciam pregão com leve ganho

A proximidade do feriado de Natal claramente diminuindo a disposição dos investidores aos negócios e o crescimento abaixo do esperado do PIB dos EUA direcionam os mercados

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2010 | 12h33

Os principais índices de ações das Bolsas de Nova York abriram a sessão de hoje em leve alta, com a proximidade do feriado de Natal claramente diminuindo a disposição aos negócios e o número de investidores no mercado. Os dados divulgados pela manhã sobre o PIB final norte-americano do terceiro trimestre provocou pequeno desânimo, ao ser revisado para um crescimento inferior ao projetado pelos economistas. O relato mostrou também que os gastos com consumo foram menores do que na estimativa anterior. Às 12h41 (de Brasília), o índice Dow Jones operava em alta de 0,08%, o Nasdaq avançava 0,15% e o S&P-500 subia 0,15%. Ontem, o índice Dow Jones fechou em seu maior nível desde 29 de agosto de 2008.

A economia dos EUA cresceu no terceiro trimestre deste ano, segundo dado final anunciado pelo Departamento de Comércio. O Produto Interno Bruto (PIB) subiu 2,6%, em taxa anual ajustada sazonalmente e pela inflação, maior do que o cálculo original de 2,5% e do que a expansão do segundo trimestre, que foi de 1,7%. No entanto, o dado ficou abaixo da previsão dos economistas de alta de 2,9%.

As principais revisões foram feitas no gasto dos consumidores, que subiu menos do que o estimado antes, e nos estoques das empresas, que cresceram mais do que o calculado. O gasto dos consumidores - que é responsável por 70% do PIB dos EUA - cresceu 2,4%, menos do que o cálculo anterior de 2,8%. Os estoques das empresas aumentaram US$ 121,4 bilhões no terceiro trimestre, em comparação com a estimativa anterior de US$ 111,5 bilhões.

Além disso, o relato mostrou que o núcleo do índice de preços para gastos com consumo pessoal (PCE) foi revisado em baixa, para aumento anualizado de 0,5%, o menor desde 1959, quando foram iniciados os registros. Na estimativa anterior, foi calculada alta de 0,8% do núcleo do PCE.

Às 13h (de Brasília), serão divulgados os números sobre as vendas de imóveis residenciais usados em novembro.

De modo geral, o noticiário desta quarta-feira é leve. Na Europa, as questões envolvendo os problemas com dívida dos países da periferia da zona do euro seguem na mesa. Hoje, o Jornal de Negócios, de Portugal, reportou que a China estaria pronta para comprar entre 4 bilhões de euros e 5 bilhões de euros em bônus portugueses para ajudar o país a refinanciar sua dívida soberana no primeiro trimestre de 2011. O euro também foi beneficiado pela informação.

No noticiário corporativo, o procurador-geral de Nova York acusou a empresa de contabilidade Ernst & Young de ajudar o Lehman Brothers a maquiar sua condição financeira por mais de sete anos, ao mesmo tempo que coletou cerca de US$ 150 milhões em taxas do banco de investimento, segundo o Wall Street Journal. Essa é a mais grave acusação contra uma empresa de contabilidade em quase uma década. As duas companhias de Nova York trabalharam juntas desde 2001 até o colapso do Lehman, em 2008. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasDow JonesNasdaqPIB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.