Bolsas de NY abrem em alta após auxílio desemprego

Às 10h38 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,76%, o Nasdaq avança 0,75% e o S&P 500 tinha valorização de 0,83%

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

29 de julho de 2010 | 10h31

As bolsas de Nova York abriram o dia em alta, impulsionadas por um declínio maior do que o esperado nos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos. Às 10h38 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,76% para 10.577,33 pontos, o Nasdaq avança 0,75% a 2.281,75 pontos e o S&P 500 tinha valorização de 0,83 aos 1.115,27 pontos.

O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 11 mil, para 457 mil, após ajustes sazonais, na semana até 24 de julho, informou o Departamento de Trabalho dos EUA. Os economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam queda de 4 mil pedidos. No entanto, o número da semana anterior foi revisado em alta para 468 mil, dos 464 mil informados anteriormente.

No ambiente corporativo, uma nova rodada de resultados financeiros ajudou a sustentar o sentimento no mercado. A petroleira ExxonMobil informou que seu lucro aumentou 91% no segundo trimestre, superando as estimativas.

Entre outras companhias que anunciaram seus resultados, a Colgate-Palmolive disse que seu lucro líquido subiu 7,3% no segundo trimestre, para US$ 603 milhões, de US$ 562 milhões no mesmo período do ano passado. As vendas da companhia apresentaram um crescimento de 3,5%, menor do que projetavam os analistas.

A Royal Dutch Shell reportou uma alta de 15% do lucro líquido no mesmo período, beneficiada por um aumento de 5% na produção de petróleo e gás e pela conclusão antecipada de uma reestruturação com o objetivo de cortar custos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.