Bolsas de NY abrem em alta com dólar forte

O mercado de ações de Nova York abriu com valorização, em reação aos ganhos sólidos nas bolsas da Ásia e Europa, além da valorização do dólar em relação ao iene. Às 11h41 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,67%; o Nasdaq apresentava ganho de 1,02%; o S&P 500 operava em +0,85%. Esses fatores ofuscam os fracos resultados das varejistas norte-americanas em fevereiro e o impacto da alta dos juros pelo Banco Central Europeu. O dólar subia 0,71%, a 117,27 ienes, sinalizando redução da aversão ao risco que motivou o recente ciclo de desmonte de operações de carregamento (arbitragem entre o iene e ativos de maior rentabilidade). Na Europa, as bolsas sobem, após o mercado acionário da China e Tóquio fecharem em alta hoje. O estrategista do ABN Amro em Londres, Ian Richards, afirmou que não acredita que as dificuldades registradas no mercado de hipotecas subprime (de maior risco) possam indicar dificuldades amplas na economia dos Estados Unidos. "Eu acho esse argumento falacioso, diante do vigor do mercado de trabalho. O desemprego está em baixa e os rendimentos médios, em alta e há um significativo aumento da renda disponível", comentou. Dados divulgados nos EUA mostraram que o número de pedidos de auxílio-desemprego caiu 10 mil, para 328 mil, na semana encerrada em 3 de março. Economistas previam declínio de 8 mil pedidos na semana passada, para 330 mil pedidos. O dado é um bom sinal para os números oficiais do mercado de trabalho em fevereiro nos EUA, que sairão amanhã. Mas não há consenso quanto um dado positivo. Balanços O setor de varejo deve se mostrar ativo, já que as cadeias varejistas dos EUA estão divulgando seus resultados de vendas do frio referentes a fevereiro. A Wal-Mart apresentou avanço nas vendas de 0,9% em fevereiro, resultado abaixo da faixa de expansão esperada. A Target, concorrente direta da Wal-Mart, registrou crescimento de 5,7% nas vendas de fevereiro, em linha com o projetado. A Gap, que tem sofrido com resultados abaixo do esperado nos últimos meses, teve em fevereiro queda de 4% de vendas nas mesmas lojas. A Limited, holding da Victoria's Secret e da Bath & Body Works, apresentou aumento de 3% nas vendas do mês. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.