Bolsas de NY abrem em alta com foco em balanços

 Às 10h37, Dow Jones subia 0,63%, Nasdaq ganhava 0,70% e o S&P 500 avançava 0,82%

Luciana Xavier, da, Agência Estado

29 de abril de 2010 | 10h36

As Bolsas de Nova York abriram em alta hoje, com foco nos balanços corporativos no cenário doméstico. Ficam nos bastidores os temores em relação a uma crise de crédito em alguns países da Europa. Após o banco central norte-americano reforçar ontem em comunicado que a economia do país continua a se fortalecer, o investidor deve buscar novas provas disso hoje. Às 10h37 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,63%, o Nasdaq ganhava 0,70% e o S&P 500 avançava 0,82%.

Hoje o Departamento do Trabalho dos EUA divulgou que o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 11 mil, para 448 mil, após ajustes sazonais, na semana até 24 de abril. Analistas esperavam queda de 11 mil, só que para 445 mil, levando em conta o dado de março de 456 mil, que hoje foi revisado para 459 mil.

A retomada lenta do mercado de trabalho segue limitando o processo de retomada da economia americana. Em seu comunicado ontem, o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) afirmou que a economia continua a se fortalecer, o mercado de trabalho está melhorando, embora o alto nível de desemprego nos país ainda esteja freando o consumo. O BC americano decidiu ontem manter os juros na faixa de zero a 0,25% ao ano, nível em que se encontra desde dezembro de 2008. Também não mexeu na frase em que fala sobre manter os juros baixos por um "período prolongado".

No cenário corporativo, a Hewlett Packard (HP) anunciou ontem que concordou em comprar a Palm, fornecedora de smartphones, por cerca de US$ 1,2 bilhão. No pré-mercado, as ações da Palm, que também divulga seus resultados hoje, subiam 26,57% e as da HP caíam 0,11%. A Exxon Mobil informou hoje que seus lucros cresceram 38% no primeiro trimestre, enquanto a produção aumentou 4,5%. No pré-mercado, as ações da Exxon caíam 1,39%.

A fabricante de câmeras fotográficas Kodak divulgou ganhos de US$ 119 milhões no primeiro trimestre, revertendo perdas de US$ 360 milhões no primeiro trimestre de 2009. No entanto, a empresa projeta prejuízo de US$ 50 milhões este ano. No pré-mercado, os papéis da Kodak caíam 6,59%. A Procter & Gamble registrou queda de 1% no lucro no terceiro trimestre fiscal e elevou as previsões de lucros para o ano. No entanto, os papéis da empresa caíam 1,6% no pré-mercado, por causa de previsões de lucro abaixo das expectativas no quarto trimestre.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.