Bolsas de NY abrem em alta com notícias corporativas

O noticiário sobre fusões e aquisições permitiu uma abertura em alta para o mercado acionário norte-americano neste início da semana dominada pelo encontro do Comitê de Mercado Aberto do Federal Reserve (FOMC). Às 10h40, o índice Dow Jones subia 0,14%, o Nasdaq +0,38% e o S&P 500 apresentava ganho de 0,06%. A possibilidade de a taxa dos Fed Funds (juro de curto prazo americano) subir em apenas 0,25 ponto porcentual, para 5,25%, ainda é majoritária nesta manhã. A hipótese de uma elevação mais agressiva segue minoritária. Os Fed Funds futuros embutem uma probabilidade de 12% de aperto de 0,50 ponto porcentual, repetindo o mesmo percentual de sexta-feira. O mercado trabalha com a perspectiva de um tom mais contundente de alerta sobre a inflação no comunicado que acompanhará a decisão do FOMC. Hoje, duas empresas norte-americanas anunciaram meganegócios. A Johnson & Johnson fez um acordo de US$ 16,6 bilhões para comprar a unidade de produtos de consumo da Pfizer, cuja ação é componente do índice Dow Jones. Os papéis da Pfizer ganhavam 3%, enquanto os da Johnson apresentavam a mesma variação percentual, mas em queda. A unidade da Pfizer inclui marcas conhecidas como o Listerine, Rolaids, Rogaine e Sudafed. Outro negócio foi anunciado pela gigante de cobre Phelps Dodge, que concordou em comprar as mineradores canadenses de níquel Inco e Falconbridge, em uma transação de US$ 40 bilhões. As ações da Phelps caíam 6%, no pré-mercado. Os papéis da Inco subiam 12%, enquanto os da Falconbridge, 7%, no pré-mercado. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

26 de junho de 2006 | 10h45

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.