Bolsas de NY abrem em baixa com dado de encomendas

As Bolsas de Nova York abriram o pregão de hoje em baixa, afetadas pelo dado de encomendas de bens duráveis e pela alta do petróleo. O índice Dow Jones recuava 0,04% às 10h34 e o Nasdaq cedia 0,11%. As encomendas de bens duráveis caíram 0,5% em agosto nos EUA, contrariando a previsão de aumento de 0,5%. Para economistas, o dado é muito volátil para se traçar um panorama claro sobre a vitalidade da economia. Mas os números foram suficientes para gerar cautela. O petróleo para novembro subia 0,80%, na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex eletrônica), reprimindo também as compras de ações em Nova York. Mas o dado crucial do dia ainda está por vir. O Departamento do Comércio divulga, às 11 horas, os dados de vendas de residências novas em agosto, com os economistas consultados pela Dow Jones prevendo queda de 2,5% das vendas. Resultados de outras pesquisas projetavam recuo de 1%. O dado pode dar subsídio para o grupo que aposta em colapso do setor, um dos pilares do ciclo recente da economia dos EUA. Mas pode também surpreender positivamente. No entanto, decisões judiciais favoráveis para a farmacêutica Merck e a Intel, que têm suas ações integrantes do Dow Jones, podem amortecer o declínio. Em relação à Merck, a justiça federal isentou a empresa de responsabilidade pelo ataque cardíaco de um morador de Kentucky, ao julgar o 10º caso associado ao uso do remédio descontinuado Vioxx. A ação da empresa subia 1% no pré-mercado. A Intel e a Advanced Micro Devices devem se comportar ativamente na sessão, após a justiça federal ter limitado o processo antitruste movido pela AMD contra a fabricante do Pentium. O juiz avaliou que as práticas anticompetitivas da Intel no exterior não afetaram a AMD nos EUA. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2006 | 10h37

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.