Bolsas de NY abrem em baixa com Europa e indicador

Às 10h35 (de Brasília), o Dow Jones caía 1,87%, o Nasdaq recuava 2,36% e o S&P 500 cedia 2,21%

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

20 de maio de 2010 | 10h33

As Bolsas de Nova York abriram em baixa hoje, com o fato de os investidores adotarem cautela diante da frágil situação na Europa e dos números divulgados hoje nos Estados Unidos, mostrando aumento nos novos pedidos de auxílio-desemprego, em direção contrária às expectativas. A informação adicionou combustível aos temores dos investidores quanto ao desempenho da economia global. Às 10h35 (de Brasília), o Dow Jones caía 1,87%, o Nasdaq recuava 2,36% e o S&P 500 cedia 2,21%.

Segundo o Departamento de Trabalho, o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego subiu 25 mil, para 471 mil, na semana até 15 de maio, enquanto economistas previam queda de 4 mil pedidos. Além disso, o número da semana anterior foi revisado em alta para 446 mil, dos 444 mil informados anteriormente; e a média móvel de pedidos feitos em quatro semanas - calculada para suavizar a volatilidade do dado - aumentou 3 mil, para 453.500.

Na Europa, o foco dos investidores está nas discussões preparatórias para o encontro do G-20 de junho que acontecem em Berlim hoje e na votação no Parlamento alemão amanhã da contribuição do país no pacote de estabilização europeu. A chanceler alemã Angela Merkel disse que irá defender junto a seus parceiros do G-20 a aceleração das medidas para apertar o controle político sobre os mercados financeiros e criar novos impostos aos bancos. Merkel afirmou também que irá defender junto aos países do G-20 coordenação de suas estratégias de retirada das medidas de estímulo introduzidas durante a crise financeira.

Outros indicadores econômicos estão previstos para hoje nos EUA. O índice de atividade industrial do Fed da Filadélfia e o indicador de indicadores antecedentes do Conference Board serão divulgados às 11 horas (de Brasília). O mercado ficará atento também ao debate sobre a reforma da regulação financeira, depois de os senadores ontem não conseguirem encerrá-lo como era esperado. No noticiário corporativo, as atenções migram para a Dell, que anuncia balanço após o fechamento. Também a Applied Materials divulgou ontem lucro no segundo trimestre, revertendo prejuízo. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.