Bolsas de NY abrem em baixa; Dow Jones cede 0,3%

As Bolsas de Nova York abriram em baixa. O índice Dow Jones caía 0,30% às 10h53, seguido pelo Nasdaq, em baixa de 0,28%. O mercado está repercutindo a inesperada alta dos preços das importações, assim como o rebaixamento das blue chips General Electric e Boeing, ofuscando os resultados sólidos da Bear Stearns e um inesperado aumento das vendas do varejo em agosto. Indicando que há pressões inflacionárias externas, os preços das importações subiram 0,8% em agosto, alavancados pelo aumento de 2,3% dos preços do petróleo importado e pelo maior aumento dos preços dos alimentos importados desde março de 2005. Economistas citados pela Dow Jones previam um recuo de 0,2% em agosto; economistas citados por outras fontes projetavam uma alta de 0,2% em agosto. Os preços das exportações também subiram. Além desse dado, o UBS rebaixou a recomendação para as ações da General Electric de neutra para reduzir, afirmando que acredita que o crescimento dos lucros do conglomerado industrial terá o desafio da forma da curva dos juros, da redução para o menor nível possível das reservas da GE Capital, das taxas de juros mais elevadas, da continuação dos lucros fracos da NBC e da desaceleração da atividade do setor aeroespacial. Os papéis da empresa cediam 0,7%. A companhia anunciou ainda a venda de seu segmento Advanced Materials por US$ 3,8 bilhões, em dinheiro e ativos, para um grupo de private equity. A Boeing também foi alvejada por um rebaixamento do UBS. A recomendação passou de neutra para reduzir, com o banco de investimentos citando que os esfriamentos econômicos anteriores não foram bons para as encomendas. Na Alemanha, as ações da Boeing cediam 0,9%. Esses fatores ofuscavam os dados de vendas do varejo, que subiram 0,2% em agosto, ante previsões de queda de 0,2%. Excluídas as vendas do setor automotivo, as vendas subiram 0,2%. Excluídas as vendas do setor automotivo, a mediana das previsões dos economistas era de um crescimento de 0,3% em agosto. O resultado do Bear Stearns também foi positivo, com o lucro no terceiro trimestre aumentando 16%, ante o ano passado. Os resultados superaram as previsões de Wall Street. As ações do banco subiam 0,6% no pré-mercado. O mercado norte-americano de ações fechou em alta ontem, pelo quarto pregão consecutivo. O Dow Jones subiu 0,39%, chegando ao fim do dia em 11.543,32 pontos, o nível mais alto desde 10 de maio (e apenas 100 pontos abaixo do nível daquele dia, que foi o mais alto dos últimos seis anos). O Nasdaq subiu 0,53%, para 2.227,67 pontos, o nível mais alto desde 16 de maio. O S&P-500 também fechou no nível mais alto dos últimos quatro meses. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.