Bolsas de NY abrem em baixa, em reação a balanços

As Bolsas de Nova York abriram o pregão em baixa hoje. Às 12h32, o índice Dow Jones recuava 0,18%, a 12.544 pontos, e o índice Nasdaq caía 0,19%, a 2.438 pontos. Pela manhã, os índices futuros de ações de Nova York operavam estáveis. A agenda macroeconômica mais tranqüila de hoje, que tem como destaque apenas o índice de sentimento do consumidor da Universidade de Michigan, deve abrir espaço para que as bolsas reajam mais a notícias corporativas. Várias componentes do índice Dow Jones divulgaram balanços nesta manhã. As ações do Citigroup, por exemplo, operavam em alta de 0,1%, depois de o banco ter anunciado que obteve lucro líquido de US$ 5,13 bilhões (US$ 1,03 por ação) no quarto trimestre de 2006, montante 26% menor que o de US$ 6,93 bilhões (US$ 1,37 por ação) registrado em igual período do ano anterior. O resultado de 2005, no entanto, foi impulsionado por um ganho de US$ 2,1 bilhões obtido com a venda de operações de gerenciamento de ativos do grupo. A divisão que inclui atividade bancária de varejo, cartões de crédito e finanças ao consumidor, no entanto, registrou aumento de 48% do lucro. Os papéis da General Electric, enquanto isso, recuavam 2%. O lucro líquido de US$ 6,58 bilhões (US$ 0,64 por ação) obtido pelo grupo no quarto trimestre, 108% maior que o de igual período do ano passado, ficou em linha com o previsto por analistas, bem como a receita de US$ 44,62 bilhões, 11% maior que a do quarto trimestre de 2005. O mercado, no entanto, não gostou da divisão industrial do conglomerado, cujos resultados foram prejudicados pela queda de 49% do lucro da unidade de plásticos. IBM recuava 4,6% e prejudicava ações do setor na Europa. A empresa anunciou ontem, após o fechamento do mercado, lucro por ação de US$ 2,26 e receita de US$ 26,26 bilhões, superiores às previsões de US$ 2,19 por ação e US$ 25,7 bilhões de analistas. Mas o que parece chamar mais a atenção dos investidores e justificar a queda dos papéis é o fato de as vendas da unidade de hardware terem ficado estáveis, se descontadas flutuações cambiais. Motorola perdia 1,4%, após anunciar queda de 48% do lucro líquido no quarto trimestre, para US$ 624 milhões. Johnson Controls cedia 2,9%, com a queda de 1,8% de seu lucro líquido no trimestre terminado em dezembro. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.