Bolsas de NY abrem em direções divergentes

As bolsas de Nova York abriram em direções divergentes, com alívio trazido pelos números sobre os pedidos de auxílio-desemprego diante do nervosismo que cerca a questão do teto da dívida dos EUA. Às 10h36 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,07%, o Nasdaq cedia 0,10% e o S&P 500 tinha alta de 0,03%.

CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

28 de julho de 2011 | 10h38

Hoje a Câmara vota o plano do republicano presidente da casa. Se aprovado, seguirá para o Senado, onde as chances de aprovação são reduzidas. O passo seguinte, nesse caso, será votar o plano do senador democrata presidente do Senado, que também tem baixa popularidade. Se nenhum dos dois planos for aprovado, as negociações devem se arrastar para até a próxima terça-feira.

Segundo o Departamento do Trabalho, os números de norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedidos de auxílio-desemprego caiu 24 mil na semana passada, superando a previsão dos economistas de que não haveria alteração no número de solicitações. Assim, a média de pedidos feitos na semana passada recuou para 398 mil, abaixo de 400 mil solicitações pela primeira vez desde 2 de abril.

Os investidores devem reagir também aos balanços que continuam sendo divulgados. Entre eles, a blue chip ExxonMobil, que apresentou lucro menor do que o esperado no segundo trimestre. No pré-mercado, as ações caíram mais de 1%. A também blue chip DuPont viu seus papéis ganharem cerca de 1%, depois de informar resultado acima do previsto e elevar suas projeções. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNova Yorktrabalho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.