Bolsas de NY abrem em direções opostas

O índice Dow Jones da Bolsa de Nova York abriu em alta e subia 0,05% às 10h32, enquanto o índice Nasdaq seguiu direção oposta e recuava 0,11%, na mínima. Os mercados europeus seguem colados ao rumo de Wall Street e perdiam vigor. O último trimestre do ano começa com a divulgação do dado industrial nacional do Instituto para Gestão de Oferta (ISM, ex-NAPM) nos EUA referente a setembro, às 11 horas. Depois de a queda do índice de atividade na região de Filadélfia ter sido contrabalançada pelo índice dos gerentes de compra de Chicago, divulgado sexta-feira, o dado nacional trará um panorama mais explícito sobre a vitalidade da atividade em uma esfera mais ampla. A previsão para o índice é de queda de 54,5 para 53,7 em setembro. Às 11 horas, saem também o indicador de vendas pendentes de residências de agosto e os dados de gastos (investimentos) no setor de construção em agosto. Além dos dados, notícias sobre a possibilidade de compra da Harrah´s Entertainment e o rebaixamento das ações da Apple podem ser catalisadores de movimentos hoje. A Harrah, operadora dos cassinos Caesars Palace e de outros cassinos, subia 7% no pré-mercado, após o The Wall Street Journal informar que a rede pode ser comprada por companhias de private equity, que incluíram o Texas Pacific Group e a Colony Capital. As ações da Apple cediam 1,9% na Alemanha, após o Citigroup ter rebaixado a recomendação para os papéis para manter, com a corretora citando que vê pouco potencial de crescimento do faturamento no terceiro e quarto trimestres do ano. O setor de tecnologia deve reagir aos dados mostrando que as vendas de semicondutores atingiu o recorde mensal de US$ 20,5 bilhões em agosto, o que representou um crescimento de 10,5% ante o mesmo mês de 2005 e de 2,1% ante julho, de acordo com a Associação da Indústria de Semicondutores. O fluxo pode ser afetado pelo feriado judeu de Yom Kippur, que começou ontem e se prolonga até o crepúsculo desta segunda-feira, e pelas celebrações associadas ao Dia Nacional na China, que provocam o fechamento dos mercados no país durante toda a semana, devem esvaziar o fluxo dos negócios. Vários outros países da Ásia também terão feriados na semana. Com informações da Dow Jones.