Bolsas de NY abrem em queda com alta do petróleo

As Bolsas de Nova York abriram em queda, com a forte alta do petróleo justificando o movimento de venda de ações. O índice Dow Jones perdia 0,21% às 10h42, enquanto o índice Nasdaq caía 0,49%. A expectativa com o resultado do encontro amanhã do Fed (banco central americano) sobre juros também limita o ímpeto de compra dos investidores. Existe um elevado número de apostas em pausa no ciclo de aperto monetário nos EUA, mas alguns participantes ainda consideram a perspectiva de as autoridades subirem a taxa dos Federal Funds mais uma vez, para reforçar o combate à inflação. O mercado se divide também em dúvidas sobre se a economia norte-americana não entrará em processo de desaceleração prejudicial ao lucro das companhias. As ações da British Petroleum caíram 2% nas operações de pré-mercado, para US$ 71,08, em reação às informações de que suspendeu, por tempo indefinido, a produção no seu campo de exploração em Prudhoe Bay, no Alasca, devido a um vazamento num oleoduto, causado por corrosão. A notícia projetou o contrato de setembro para acima de US$ 77 o barril na plataforma eletrônica ICE, de Londres. Na Nymex, em Nova York, superou US$ 76 o barril. Trata-se do maior poço petrolífero em operação nos EUA, fornecedor das refinarias da costa ocidental do País. Deixarão de ser produzidos cerca de 400 mil barris diários por dia, 8% do total da produção petrolífera dos EUA ou cerca de 2,6% do abastecimento diário norte-americano, incluindo importação, segundo dados da Administração de Informação de Energia dos EUA. A decisão de suspender a produção, uma medida preventiva, foi tomada depois de a Anglo-American ter descoberto um vazamento estimado de 4 a 5 barris de petróleo no oleoduto. O Prudhoe Bay é uma joint venture na qual a BP tem 26,4% de participação; a ExxonMobil, 36,4%; e a ConocoPhilips, 36,1%. As ações da ExxonMobil subiram 0,5% no pré-mercado e as da ConocoPhilips avançaram 0,9%. Outros destaques do pré-mercado eram os papéis da Apple, que caíram 0,6%, com a publicação no The Wall Street Journal de que foram concedidos bônus em opções a vários executivos de primeiro escalão da empresa dias antes de relevante apreciação nos preços dos papéis da companhia entre 1997 e 2001. As ações da El Paso avançaram 3%, após a produtora de gás natural ter informado lucro no segundo trimestre de US$ 150 milhões, revertendo prejuízo de US$ 238 milhões no mesmo período do ano passado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.