Bolsas de NY abrem perto da estabilidade

Movimento ocorre apesar dos números divulgados hoje nos EUA mostrarem que a inflação segue baixa, enquanto as condições no setor de manufatura em Nova York melhoraram

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

15 de dezembro de 2010 | 12h49

As Bolsas de Nova York abriram o dia próximas da estabilidade, apesar dos números divulgados nesta manhã nos Estados Unidos mostrarem que a inflação segue baixa, enquanto as condições no setor de manufatura em Nova York melhoraram. Especialistas dizem que os investidores estão focados nos problemas da zona do euro (que reúne os 16 países que adotam o euro como moeda). Às 13h03 (horário de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,25%, o Nasdaq tinha alta de 0,19% e o S&P-500 avançava 0,09%.

Os bons números sobre a economia dos EUA somam-se a indicadores positivos divulgados recentemente e que têm levado investidores a acreditar um pouco mais na recuperação do país. Mas frente a crise europeia e aos ganhos registrados ontem, quando o Dow Jones e o S&P 500 fecharam nos maiores níveis desde setembro de 2008, o sentimento de cautela prevalece.

O mercado abriu o dia pressionado, especialmente na Europa, pela notícia de que a Moody''s colocou o rating (classificação de risco) da Espanha em revisão para possível rebaixamento. Para justificar a ação, a agência citou as necessidades desafiadoras de financiamento do país em 2011 e uma complicada perspectiva para os bancos e para os governos regionais. A notícia revigorou os temores de descontrole na crise soberana europeia.

O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA subiu 0,1% em novembro, na comparação com outubro, pelo quinto mês seguido, mas a variação foi inferior à alta de 0,2% prevista por economistas. O núcleo do CPI, que exclui os preços de alimentos e energia e é observado de perto pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), aumentou 0,1%, no primeiro movimento depois de três meses de leitura estável. O resultado ficou em linha com as estimativas dos economistas. Já o índice de atividade do setor de manufatura em Nova York saltou para 10,57 em dezembro, de -11,14 em novembro. Economistas esperavam que o índice subisse para 5.

Entre as principais ações negociadas em bolsa, a farmacêutica suíça Novartis abriu caminho para assumir o controle total da norte-americana voltada para oftalmologia Alcon, ao fortalecer uma oferta feita anteriormente pela empresa, oferecendo parte do pagamento em dinheiro. A operação custará à Novartis cerca de US$ 51,6 bilhões.

A Dynegy, por sua vez, informou que seu conselho aprovou a proposta de aquisição recebida da Icahn Entreprises por cerca de US$ 665 milhões. A Icahn também assumirá bilhões de dólares em dívidas da Dynegy. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsasNyDow JonesNasdaqS&P-500

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.