Bolsas de NY avançam com índice de inflação favorável

O mercado de ações dos Estados Unidos recebeu bem os números sobre a inflação do relatório de gastos e renda dos norte-americanos (PCE), divulgados hoje. A queda do petróleo também ajuda os investidores a se posicionarem com maior tranqüilidade na ponta de compra. Às 11h38, o índice Dow Jones subia 0,30%; o S&P 500 avançava 0,17%; e o Nasdaq apresentava ganho de 0,24%. O núcleo do indicador, de gastos com consumo pessoal, subiu 1,8% em base anual, superando levemente a expectativa dos economistas, de aumento de 1,7%. No entanto, o índice continua dentro da margem que o banco central do país, (Federal Reserve, Fed) considera aceitável. O indicador tem sido o mais observado pelo Fed para capturar indícios de pressão inflacionária na economia norte-americana. O banco central dos EUA considera sustentável oscilação anual entre 1% a 2%. No noticiário corporativo, as atenções voltaram-se para os papéis da Google esta manhã, que registrou alta de 1% nas operações pré-mercado, refletindo anúncio de um plano para oferecer novo formato publicitário, o que foi visto como possibilidade de melhorar as receitas da companhia. Os ADRs da mineradora BHP Billiton caíram cerca de 2%, após a empresa australiana estabelecer novo preço para recompra de ações que não são negociadas no mercado. As ações da Dow Chemical recuaram 1,2%, depois de ter a recomendação para seus papéis rebaixado para neutro, de overweight (classificação de peso maior do que a média da carteira), citando preocupação com o enfraquecimento da demanda e potencial de queda nas margens. Entre outras notícias, o Citigroup foi acusado de uso de informação privilegiada pelo órgão que regulamenta o mercado de ações australiano, na operação de aquisição das ações da Patrick Corp, um dia antes do cliente do Citigroup Toll Holdings ter lançado oferta de compra da Patrick. As informações são das agências internacionais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.