Bolsas de NY avançam com sinal de vigor econômico

As bolsas de Nova York abriram em alta, com a percepção de que o vigor da economia e o crescimento dos lucros corporativos nos Estados Unidos poderão fazer frente ao aumento da taxa de juro norte-americana e à indicação de que o aperto monetário prosseguirá no país. O forte desempenho do mercado japonês, com o Nikkei-225 subindo 1,5% para o maior nível desde 2000, e o rumo de ganho das bolsas européias também serviram de impulso complementar para a abertura em Wall Street. Às 11h41, o S&P 500 subia 0,15%, Nasdaq 100 futuro, 0,28%, e o Dow Jones avançava 0,23%. Ontem, os principais índices de ações em Nova York fecharam em baixa, depois que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) elevou sua taxa de juro básica e desapontou os investidores ao sinalizar que novos aumentos podem estar a caminho. Os índices Dow Jones, Nasdaq e S&P-500 estavam em território positivo até sair o comunicado do Fed, mas viraram e permaneceram em baixa até o encerramento do pregão. O Dow cedeu 0,85% e o Nasdaq, 0,48%. Nenhum indicador importante será divulgado nos Estados Unidos hoje, com o único destaque convergindo para os relatórios de estoques de petróleo, com divulgação às 12h30. Mas os investidores esperam pelos relatórios colocando pressões negativas no futuro de maio do petróleo, que tem queda de 0,18%, para US$ 65,95 por barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex) eletrônica. No pré-mercado, as ações da General Motors cediam 1,8%, após a montadora ter publicado novamente seus resultados financeiros e os números da GMAC, seu braço financeiro remontando o ano de 2000. Ao mesmo tempo, a empresa anunciou que é alvo de duas investigações contábeis adicionais. Outras duas ações componentes do índice Dow Jones estavam ativas no pré-mercado. Os papéis da Caterpillar recuavam 2%, após o UBS rebaixar a recomendação para o ativo de compra para venda, citando a valoração do papel e a desaceleração do crescimento da empresa no seu mercado. A 3M subia 2%, reagindo à elevação da recomendação para a ação pelo Merrill Lunch. O banco promoveu a ação de neutra para compra, citando o crescimento internacional como pretexto para a mudança. Os papéis da Idenix Pharmaceuticals subiam 6%, depois que a suíça Novartis ter decidido exercer sua opção para licenciar o valopicitabine, principal componente em desenvolvimento pela Idenix para tratamento de hepatite C. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.