Bolsas de NY avançam, mas esperam mais indicadores

As bolsas norte-americanas abriram em alta. Às 10h37, o índice Dow Jones subia 0,38%, o Nasdaq avançava 0,31% e o S&P 500 apresentava ganho de 0,03%. Porém, o mercado de ações nos Estados Unidos segue atento por conta do acentuado aumento no nível das encomendas de bens duráveis em março nos Estados Unidos. O dado projetou o juro do título de 10 anos do Tesouro norte-americano em forte alta, para até 5,12%. O dado amplia a atenção dos investidores aos próximos números, sobre as vendas de imóveis novos, que saem às 11 horas (de Brasília), e em relação ao livro bege, que sai à tarde. O comportamento incerto do petróleo, tendo em vista a expectativa com a divulgação às 11h30 (de Brasília) dos números sobre os estoques norte-americanos da commodity e de seus produtos, também pode provocar cautela. Entre os balanços divulgados esta manhã, destaque aos da Boeing e da Colgate-Palmolive. A Boeing informou aumento de 29% em seu lucro para US$ 692 milhões ou US$ 0,88 por ação e de 12% em suas receitas para US$ 14,26 bilhões. O resultado superou as projeções. A Colgate-Palmolive informou lucro líquido no primeiro trimestre 8,1% acima do mesmo período do ano passado, a US$ 324,5 milhões ou US$ 0,59 por ação. Excluindo despesas com reestruturação, o lucro por ação foi de US$ 0,70, US$ 0,04 acima do previsto pelos analistas. As vendas no período subiram 4,5%, para US$ 2,87 bilhões, levemente acima da previsão de US$ 2,84 bilhões dos analistas. Os papéis da empresa eram cotados a US$ 56,26 na compra e em US$ 59,00 na venda no pré-mercado, de US$ 57,35 no fechamento de ontem em Nova York. As ações da Pepsico eram cotadas em alta no pré-mercado, com anúncio de aumento próximo a 12% em seu lucro no primeiro trimestre, para US$ 1,02 bilhão ou US$ 0,60 por ação. As receitas subiram 9,4% para US$ 7,21 bilhões. Analistas esperavam lucro de US$ 0,58 por ação e receitas de US$ 7,03 bilhões. Os papéis da ConocoPhilips subiram cerca de US$ 0,40 no pré-mercado. A companhia petrolífera registrou alta em seu lucro líquido do primeiro trimestre para US$ 3,29 bilhões ou US$ 2,34 por ação, em linha ao previsto. As receitas avançaram 23% para US$ 47,9 bilhões. Entre outros destaques do pré-mercado, as ações da Amazon subiram 2%, com anúncio de queda de 35% no seu lucro, refletindo custos com opções de ações de funcionários e aumento nas despesas operacionais, os quais minimizaram aumento de 20% nas vendas. A Amazon elevou sua projeção de venda para 2006. As informações são da Dow Jones.

Agencia Estado,

26 Abril 2006 | 10h39

Mais conteúdo sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.