Bolsas de NY caem e rompem série de 6 semanas de alta

As Bolsas de Nova York fecharam em queda nesta sexta-feira, encerrando a semana com perdas, após seis ganhos semanais consecutivos. Apesar de dados positivos da China, os investidores digeriram uma série de balanços corporativos e os ânimos continuaram pressionados pelas expectativas de que o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) reduzirá seu programa de estímulos em breve.

Agencia Estado

09 de agosto de 2013 | 17h56

O índice Dow Jones perdeu 72,81 pontos (0,47%), fechando a 15.425,51 pontos. O Nasdaq recuou 9,01 pontos (0,25%), encerrando a sessão a 3.660,11 pontos. O S&P 500 teve retração de 6,06 pontos (0,36%) e terminou a 1.691,42 pontos. No acumulado da semana, o Dow Jones registrou queda de 1,49%, após seis semanas de ganhos. O Nasdaq caiu 0,80% e o S&P 500 perdeu 1,07%.

"O mercado está um pouco fatigado, após o rali recente. Não parece que temos novos compradores entrando", disse Jesse Lubarsky, vice-presidente sênior de negociação de ações da Raymond James. "As pessoas, no geral, não estão esperando uma onda de vendas de ações, os mercados estão de lado", acrescentou.

No noticiário econômico, as empresas de matérias-primas fecharam em alta após dados positivos da China. A produção industrial do gigante asiático surpreendeu e subiu 9,7% na comparação anual em julho, acima da previsão de alta de 9%. Já as vendas no varejo da China tiveram no mês passado alta de 13,2%, também na base anual, vindo quase em linha com a projeção de aumento de 13,3%.

Na agenda de indicadores dos EUA, o único destaque foi o relatório sobre os estoques no atacado em junho, que mostrou queda de 0,2% ante maio. As vendas cresceram 0,4%. Analistas ouvidos pela Dow Jones esperavam aumento de 0,5% nos estoques. Quando os estoques caem geralmente significa que a produção das empresas foi mais fraca e assim não conseguiu acompanhar o ritmo das vendas.

Dos destaques corporativos, as ações da BlackBerry subiram 5,74%, após rumores de que a empresa possa ser vendida e ter o capital fechado. Embora a possibilidade de um acordo não seja iminente, o executivo-chefe da companhia, Thorsten Heins, e o conselho administrativo estariam abertos à opção, como uma forma de ganhar tempo enquanto a empresa avança com a transição para um novo sistema operacional para seus smartphones. A varejista de vestuário Gap perdeu 3,12%, depois de divulgar na noite passada resultados decepcionantes para as vendas em julho.

Walt Disney (-1,55%), MasterCard (-1,22%) e Bank of America (-1,10%) lideraram as perdas entre as blue chips. No campo positivo, apareceram Dow Chemical, com alta de 3,06%, e Alcoa, que registrou ganho de 3,92%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas NY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.