Bolsas de NY encerram em alta por dados bons nos EUA

As Bolsas de Nova York fecharam em alta nesta segunda-feira, 17, impulsionadas por dados positivos sobre a economia dos Estados Unidos e com um nervosismo menor sobre uma possível redução nas medidas de estímulo promovidas pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Agencia Estado

17 de junho de 2013 | 17h56

O índice Dow Jones ganhou 109,67 pontos (0,73%), fechando a 15.179,85 pontos. O Nasdaq avançou 28,57 pontos (0,83%), encerrando aos 3.452,13 pontos. O S&P 500 teve alta de 12,31 pontos (0,76%) e terminou a 1.639,04 pontos.

O índice Empire State de atividade na área de Nova York saltou para 7,84 em junho, indicando expansão, de -1,43 no mês anterior. A previsão dos economistas consultados pela Dow Jones era de que o indicador avançasse para zero. Já o índice de confiança das construtoras dos EUA ultrapassou neste mês a leitura de 50 pela primeira vez desde abril de 2006, o que significa que as condições de vendas agora são consideradas "boas". A leitura de confiança, que havia sido de 44 pontos em maio, saltou para 52 em junho.

Os principais índices acionários de Nova York perderam força no meio tarde, depois que o Financial Times divulgou que o presidente do Fed, Ben Bernanke, deve sugerir a possibilidade de uma redução em breve nas compras mensais de bônus na reunião que termina nesta quarta-feira, 19. O texto do FT é uma análise e não cita qualquer fonte.

"Nós tivemos dois dados muito bons hoje, mas é inconcebível que o Fed comece a pensar em aperto monetário já na próxima reunião", afirma Phil Orlando, estrategista-chefe de mercado da gestora Federated Investors. Keith Bliss, vice-presidente sênior da corretora Cuttone & Co, diz que os volumes de negociação hoje foram baixos. "Quando as pessoas estão receosas e os volumes estão baixos, qualquer coisa pode mover o mercado drasticamente."

No noticiário corporativo, as ações da Netflix saltaram 7,12%, após a companhia de aluguel de filmes online assinar um contrato para uma série exclusiva da Dreamworks Animation. A Smithfield Foods ganhou 0,85%, após um acionista solicitar que a companhia estude uma cisão das suas operações, em vez da venda para a chinesa Shuanghui International, anunciada no mês passado, por US$ 4,7 bilhões.

Entre as blue chips, os destaques de alta foram os bancos (JPMorgan +1,36%, Morgan Stanley +1,47%, Bank of America +1,07% e Wells Fargo +1,12%). Entre os poucos papéis que fecharam em queda estão Fedex, com desvalorização de 0,72%, e Monsanto, que perdeu 0,77%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsasNova Yorkfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.