Bolsas de NY encerram em baixa com temor sobre juros

O mercado norte-americano de ações fechou em queda, com os investidores voltando a mostrar preocupação com a perspectiva das taxas de juro. O indicador de vendas no varejo em julho superou as previsões. "O forte informe das vendas no varejo desempenhou um papel significativo no comportamento do mercado. Ele elevou a preocupação com a possibilidade de uma desaceleração econômica mais forte ser necessária antes que o Fed (Federal Reserve, banco central dos EUA) dê por encerrado o ciclo de elevações das taxas de juro", comentou David Klaskin, da Oak Ridge Investments. O índice Dow Jones acumulou queda na semana, depois de três semanas consecutivas de altas; no caso do Nasdaq, esta foi a oitava semana de queda entre as últimas dez.. As ações da Apple Computer fecharam em queda de 0,66%, depois de terem chegado a cair 2,3%, depois de a empresa anunciar que haverá atraso na divulgação do informe de resultados, por causa do registro das concessões de opções a altos funcionários da empresa. As da Juniper Networks caíram 5,4%, depois de a empresa dizer que terá que reapresentar seus informes de resultados desde 2003, também por causa de disparidades relacionadas à concessão de opções. As da NVidia recuaram 3,2%; a empresa adiou a divulgação de seu informe de resultados, porque o comitê de auditores encontrou irregularidades no registro de concessões de opções. Entre as ações de empresas que divulgaram resultados, os destaques do pregão foram Analog Devices (-16%), Kohl's (+4,4%) e Advance Auto Parts (-2,8%). Entre as componentes do Dow Jones, as ações da AIG voltaram a ter o melhor desempenho pelo segundo dia consecutivo, com alta de 2,1%, ainda em reação a seu informe de resultados. As ações cíclicas, cujo desempenho tende a acompanhar os ciclos econômicos, voltaram a cair (Caterpillar -1,9%, Toll Brothers -2,9%). As ações da mineradora de níquel Inco subiram 3,4%, em reação à oferta de compra anunciada pela brasileira CVRD; as da Phelps Dodge, que também havia feito uma oferta pela Inco, avançaram 2,1%. As ações das companhias aéreas caíram, não só por causa do alerta antiterrorismo no Reino Unido e nos EUA, mas por causa do temor de possíveis novos apertos monetários do Fed (Continental -7,1%, AMR -7,2%). O índice Dow Jones fechou em queda de 36,34 pontos (0,33%), em 11.088,03 pontos. A mínima foi em 11.042,80 pontos e a máxima em 11.121,16 pontos. O Nasdaq fechou em queda de 14,03 pontos (0,68%), em 2.057,71 pontos, com mínima em 2.049,84 pontos e máxima em 2.066,23 pontos. O Standard & Poor's-500 caiu 5,07 pontos (0,57%), para 1.266,74 pontos. O NYSE Composite recuou 46,50 pontos (0,57%), para 8.163,28 pontos. O volume negociado na NYSE ficou em 1,332 bilhão de ações, de 1,599 bilhão ontem; 1.120 ações subiram, 2.207 caíram e 123 fecharam nos mesmos níveis de ontem. No Nasdaq, o volume ficou em 1,442 bilhão de ações negociadas, de 1,760 bilhão ontem, com 974 ações fechando em alta e 1.980 em queda. Na semana, o Dow Jones acumulou uma queda de 1,35%, o Nasdaq, uma baixa de 1,31% e o S&P-500, um recuo de 0,99%. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.