Bolsas de NY encerram pregões em direções divergentes

O mercado norte-americano de ações fechou com os principais índices em direções divergentes, o Dow Jones em baixa e o Nasdaq e o S&P-500 em alta. Operadores disseram que as quedas das ações da American Express e da Boeing puxaram o Dow para baixo. O Nasdaq, impulsionado por ações de tecnologia, fechou no nível mais alto desde 31 de dezembro de 2007.

RENATO MARTINS, Agencia Estado

20 de dezembro de 2010 | 20h18

Operadores observaram que as preocupações quanto à dívida soberana de alguns países europeus e os temores em relação a possíveis consequências de um exercício militar da Coreia do Sul na região da fronteira com a Coreia do Norte diminuíram durante o dia.

Entre as componentes do Dow, as ações da American Express fecharam em queda de 3,43%; os analistas da Stifel Nicolaus disseram que a empresa "está mais exposta" à reformulação das normas para cobrança de tarifas sobre transações com cartões de crédito e de débito, proposta no fim da semana passada pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). As da Boeing caíram 2,71%, depois de o executivo-chefe da Qatar Airways dizer que poderá cancelar suas encomendas do jato 787 Dreamliner, se houver novos adiamentos para a entrega dos aparelhos.

As ações do banco de investimentos Jefferies caíram 1,58%, depois da divulgação de seu informe preliminar de resultados do quarto trimestre fiscal (setembro/novembro).

O índice Dow Jones fechou em queda de 13,78 pontos (0,12%), aos 11.478,13 pontos. O Nasdaq fechou em alta de 6,59 pontos (0,25%), aos 2.649,56 pontos. O S&P-500 fechou em alta de 3,17 pontos (0,25%), aos 1.247,08 pontos. O NYSE Composite fechou em alta de 11,65 pontos (0,15%), aos 7.846,96 pontos. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.