Bolsas de NY fecham divergentes; tecnologia é destaque

As Bolsas de Nova York fecharam sem direção única, em dia de agenda vazia e volume baixo de negociação. Pesou sobre os índices o crescimento decepcionante do Japão, mas a forte performance das ações do setor de tecnologia forneceu algum apoio na sessão desta segunda-feira.

Agencia Estado

12 de agosto de 2013 | 17h29

O índice Dow Jones registrou a quinta baixa em seis pregões e terminou no menor nível desde 10 de julho. O Dow perdeu 5,83 pontos (0,04%), fechando a 15.419,68 pontos. O S&P 500 teve retração de 1,95 ponto (0,12%) e finalizou a 1.689,47 pontos. O Nasdaq, por outro lado, avançou 9,84 pontos (0,27%), encerrando aos 3.669,95 pontos.

Apesar do início lento da semana, ao longo dos próximos dias alguns eventos prometem mexer com o mercado. Na terça, 13, o presidente do Fed de Atlanta, Dennis Lockhart, participa de um evento em que falará dos desafios da política monetária. Na quarta-feira, o presidente da distrital de Saint Louis, James Bullard, que tem poder de voto no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), faz discurso em dois eventos.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão decepcionou e pressionou os índices. O PIB japonês cresceu 0,6% no segundo trimestre na comparação com os três meses anteriores. O número sinaliza um ritmo anualizado de 2,6%. Apesar das medidas tomadas pelo governo de Shinzo Abe para tentar reavivar a economia japonesa, o desempenho ficou aquém do previsto pelo mercado financeiro, que estimava expansão de 3,6%. O número também foi menor do que no primeiro trimestre do ano, quando a economia japonesa girava a um ritmo de 3,8%.

O único dado norte-americano saiu pelo Departamento do Tesouro. Os EUA registraram déficit orçamentário de US$ 97,594 bilhões em julho, enquanto economistas ouvidos pela Dow Jones esperavam déficit de US$ 96 bilhões. Em julho do ano passado, o déficit havia sido de US$ 69,604 bilhões. Nos dez primeiros meses do ano fiscal 2013 (iniciado em outubro do ano passado), o déficit foi de US$ 607,418 bilhões, uma queda de 38% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

No noticiário corporativo, as ações de tecnologia foram o destaque. As ações da Apple fecharam em alta de 2,84% após a companhia marcar um evento para 10 de setembro, desencadeando rumores sobre o lançamento de um novo modelo do iPhone.

Cisco Systems e International Business Machines (IBM) foram destaque de alta no Dow Jones, ganhando 1,10% e 0,67%, respectivamente. As ações da BlackBerry avançaram 10,45% após a companhia dizer que avalia alternativas estratégicas, que podem incluir uma venda ou fusão.

Na Europa, a maioria das Bolsas fechou em baixa, também em reação ao PIB do Japão. A Bolsa de Londres perdeu 0,14% e Paris recuou 0,12%, enquanto Frankfurt teve alta de 0,25%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas NY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.