Bolsas de NY fecham em alta antes de decisão do Fed

As Bolsas de Nova York fecharam nos maiores níveis em quase três semanas nesta terça-feira, 18, impulsionadas pela expectativa dos investidores em relação à possível redução nas compras mensais de ativos de US$ 85 bilhões do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos). As empresas de menor liquidez do mercado norte-americano tiveram o melhor desempenho na sessão, com o índice Russell 2000 atingindo uma nova máxima recorde. O índice subiu 12,08 pontos (1,2%), para 999,92 pontos, superando o recorde anterior alcançado em 21 de maio.

Agencia Estado

18 de junho de 2013 | 18h12

O índice Dow Jones subiu 138,38 pontos (0,91%), para 15.318,23 pontos. O Nasdaq avançou 30,05 pontos (0,87%), encerrando aos 3.482,18 pontos. O S&P 500 teve alta de 12,77 pontos (0,78%) e fechou a 1.651,81 pontos.

A atenção dos investidores se mantém concentrada no comunicado do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Fed e na entrevista à imprensa do presidente do banco central, Ben Bernanke, previstos respectivamente para as 15h e 15h30 (horário de Brasília), da quarta-feira, 19.

Entre os indicadores econômicos divulgados nos EUA mais cedo estava o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), que subiu 0,1% em comparação com abril, mas ficou abaixo da alta de 0,2% esperada pelos analistas. No setor imobiliário, as construções de casas iniciadas subiram 6,8% no mês passado, para 914 mil. Os economistas previam um aumento de 11,4%.

"Os números vieram um pouco abaixo do esperado, mas o ponto principal é que foi um relatório que forneceu suporte para uma tendência positiva", disse Richard Sichel, diretor do escritório de investimentos do Philadelphia Trust Co., que administra US$ 1,9 bilhão em ativos.

No front corporativo, as ações da Sony subiram 3,3%, após o fundo de hedge Third Point, de Daniel Loeb, elevar sua participação para cerca de 7% e pedir para a companhia lançar uma oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês) de sua divisão de entretenimento. A Sony afirmou que estudará a proposta de Loeb, repetindo declarações anteriores de que seu negócio de filmes e música ainda não está à venda.

Os papéis da Sprint Nextel subiram 1,4% com as notícias de que a companhia entrou com uma ação contra a Dish Network e a Clearwire, em um esforço para bloquear a oferta da empresa de TV a cabo pela Clearwire. As ações da Dish Network avançaram 0,7%, enquanto as da Clearwire, recuaram 1,5%. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasNova Yorkfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.