Bolsas de NY fecham em alta com balanços positivos

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta quinta-feira, 24, ajudadas por balanços bons e dados positivos da China, que impulsionaram as bolsas internacionais em geral. Números fracos da economia dos EUA reforçaram a percepção de que o Federal Reserve manterá seus estímulos monetários por enquanto e contribuíram para o bom humor dos investidores.

Agencia Estado

24 de outubro de 2013 | 19h00

O índice Dow Jones ganhou 95,88 pontos (0,62%), fechando a 15.509,21 pontos. O S&P 500 teve alta de 5,69 pontos (0,33%), encerrando a sessão a 1.752,07 pontos. O Nasdaq avançou 21,89 pontos (0,56%), terminando a 3.928,96 pontos.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor industrial da China subiu para o maior nível em sete meses, a 50,9 em outubro, segundo dados preliminares medidos pelo HSBC. A leitura final em setembro havia ficado em 50,2.

Os principais dados divulgados nos EUA não foram animadores, mas reforçaram a expectativa por uma manutenção de estímulos do Fed no curto prazo e não provocaram resposta significativa do mercado. O número de trabalhadores americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 12 mil, para 350 mil, ficando acima da previsão de 340 mil solicitações. Já a Markit informou que o PMI industrial dos EUA caiu para 51,1 em outubro, de 52,8 em setembro. O resultado é o mais baixo dos últimos 12 meses, apesar de a leitura ter ficado acima de 50, o que indica expansão da atividade.

"Os investidores parecem dispostos a comprar ações na ausência de notícias ruins", disse David Lafferty, estrategista da Natixis Global Asset Management. "A paralisação e as especulações sobre o Fed prejudicaram o mercado, mas essas questões estão no retrovisor agora."

Entre os resultados corporativos divulgados nesta quinta a Ford Motor superou as previsões de lucro e receita no terceiro trimestre. A empresa também elevou suas previsões de lucro e margem e suas projeções de vendas na China. As ações da empresa subiram 1,37%. Além disso, a 3M, que pertence ao índice Dow Jones, registrou ganhos e receita maiores do que o esperado, ajudados por crescimento nas vendas em todos os negócios do grupo. O papel da empresa ganhou 0,24%.

Depois do fim do pregão, a Microsoft informou que seu lucro líquido saltou 17% no primeiro trimestre fiscal, encerrado em setembro, para US$ 5,24 bilhões. A receita de US$ 18,53 bilhões superou a previsão de analistas. O papel da empresa fechou a sessão com queda de 0,09% e subia 5,72% no after hours. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
bolsas de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.