Bolsas de NY fecham em alta em dia de agenda vazia

As bolsas de Nova York fecharam em alta, numa quinta-feira de agenda vazia de indicadores. A divulgação de balanços trimestrais mistos pesou sobre o Dow Jones, que passou o dia em queda, mas conseguiu se recuperar no fim da sessão e encerrar em território positivo. Na semana, porém, os três índices acionários dos Estados Unidos registraram desvalorização de mais de 2% cada um.

AE, Agencia Estado

19 de abril de 2013 | 18h25

O Dow Jones ganhou 10,37 pontos (0,07%) e fechou a 14.547,51 pontos. O índice, no entanto, recuou 2,14% na semana, a pior queda semanal em pontos desde a semana encerrada em 1.º de junho. O S&P 500 avançou 13,64 pontos (0,88%) e fechou a 1.555,25 pontos, mas perdeu 2,11% na semana. O Nasdaq fechou em alta de 39,70 pontos (1,25%), a 3.206,06 pontos, com queda de 2,70% na semana.

O foco do dia foram os balanços de blue chips no primeiro trimestre, que vieram mistos. Entre os que divulgaram resultados entre ontem e hoje, General Electric recuou 4,06% e McDonald''s perdeu 1,95%, enquanto Microsoft e Google tiveram ganhos de 3,39% e 4,43%, respectivamente. Também na área tecnológica, por outro lado, a IBM despencou 8,28% após um resultado considerado decepcionante e a notícia de que a empresa negocia a venda da divisão de servidores para a chinesa Lenovo.

Ainda no noticiário corporativo, as ações do SeaWorld Entertainment saltaram 24% após fazer uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na New York Stock Exchange. "Vimos um pequeno rali de recuperação", disse Sean Kelly, do Knight Capital Group. "Estamos vendo compradores, mas não há uma convicção muito grande. É mais a falta de atividade por parte do lado das vendas. O mercado caiu muito fortemente e rapidamente e vemos algumas pessoas tentando comprar o que consideram ser ações mais baratas."

O noticiário negativo da semana - que inclui um crescimento pior que o esperado da China, uma onda de vendas do ouro e um início decepcionante da temporada de balanços corporativos - pesou sobre os negócios de renda variável. Em comunicado divulgado nesta quinta-feira, o G-20 pressionou os EUA a fazer "mais progresso" para definir um plano equilibrado de consolidação fiscal para o médio prazo, mesmo com "redução significativa do déficit" já tendo sido alcançada.

No continente europeu, o índice de referência Stoxx 600 teve nesta quinta-feira o primeiro ganho em seis pregões, de 0,52%. A bolsa de Londres registrou o menor avanço, de 0,69%, e a de Lisboa, o maior, de 2,57%. A exceção foi o mercado alemão, que apresentou um ligeiro recuo de 0,18%, atribuído a motivos técnicos. Segundo o jornal "Die Welt", uma carta contendo um artefato explosivo foi enviada ao presidente da Alemanha, Joachim Gauck. A bomba foi detonada pela polícia, de acordo com a publicação alemã. Em Milão, o FTSE Mib avançou 1,81%, apesar da pressão do cenário político. Após quatro votações, duas nesta quinta-feira (18) e outras duas nesta sexta-feira, o Parlamento da Itália não conseguiu eleger o novo presidente do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
BolsasNova Yorkfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.