Bolsas de NY ficam sem direção após fala de Bernanke

Os mercados acionários norte-americanos iniciam a tarde sem direção definida, após o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, ter se calado sobre a economia e a perspectiva para a política monetária dos EUA, deixando o caminho livre para que os "investidores abandonem o barco" e aproveitem o fim do verão, segundo a agência Dow Jones. O índice Dow Jones cedia 0,24% e o Nasdaq subia 0,08%, por volta das 13 horas. "O mercado não recebeu nenhum sentido de direção de Bernanke", afirmou o chefe de investimentos da Johnson Illington Advisors, Hugh Johnson. O número de ações negociadas na Bolsa de Nova York foi de 474,4 milhões entre a abertura e as 12 horas, de 514,9 milhões no intervalo correspondente da sessão anterior. O único catalisador do dia é o preço do petróleo. O contrato futuro de petróleo para outubro subia 0,95%, para US$ 73,05 por barril, na Bolsa Mercantil de Nova York, refletindo compras preventivas para a possível formação de uma tempestade tropical no Atlântico. Bernanke afirmou que o atual episódio de integração econômica global está ocorrendo em um ritmo sem precedente, fazendo avançar as bases de crescimento da produtividade e a redução da pobreza global. Em discurso previamente preparado para o simpósio econômico anual do Federal Reserve Bank de Kansas City, em Jackson Hole (Wyoming), Bernanke exortou as autoridades tomadoras de decisões de política a garantirem que os benefícios da globalização sejam amplamente compartilhados, com o objetivo de represar o sentimento protecionista. Os comentários de Bernanke têm como pano de fundo dados recentes que ampliaram a preocupação sobre o esfriamento do mercado imobiliário provocar uma guinada acentuada no rumo da economia ampla nos próximos trimestres. Dados mostraram quedas mais pronunciadas do que se esperava das vendas de imóveis novos e usados em julho. Os levantamentos indicaram também aumento dos estoques de imóveis à venda, sugerindo que o esfriamento deve se prolongar. Na próxima semana, os investidores devem transferir o foco para a ata do encontro do dia 8 de agosto do Comitê de Mercado Aberto. O documento será divulgado na terça-feira, mesmo dia em que a Conference Board divulga seu levantamento sobre a confiança do consumidor e dados de inflação. Na quarta-feira, sai a revisão do crescimento do PIB no segundo trimestre nos EUA. Na quinta-feira, o relatório de renda pessoal e gastos com consumo trará o indicador de preços desses gastos (índice de preços do PCE), eleito pelo Fed como seu principal referencial para inflação. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.