Bolsas de NY ganham força com resultado do Citigroup

A exceção é o índice eletrônico Nasdaq que registra queda

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

19 de abril de 2010 | 16h28

Dois dos três principais índices do mercado de ações dos EUA passaram a subir pouco antes do fechamento, impulsionados pelo forte crescimento no lucro do Citigroup durante o primeiro trimestre, fator que injetou confiança nos investidores a respeito da recuperação do sistema financeiro norte-americano e ofereceu suporte particularmente aos papéis do setor.

 

Às 16h27 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,58%, para 11.082 pontos, e o S&P 500 tinha alta de 0,28%, para 1.195 pontos. O Nasdaq era a exceção, caindo 0,20%, para 2.476 pontos.

 

O Citigroup anunciou mais cedo que obteve um lucro líquido de US$ 4,4 bilhões (US$ 0,15 por ação) no primeiro trimestre deste ano, mais do que o dobro do resultado do mesmo período do ano passado e o maior lucro desde o segundo trimestre de 2007. A receita cresceu 3,7% ante os três primeiros meses de 2009, para US$ 25,4 bilhões.

 

O balanço do Citigroup, cujas ações subiam 6,14%, levou os investidores a apostar que o mercado pode absorver uma oferta maior de papéis do banco. Recentemente, o governo norte-americano anunciou que liquidaria parte de suas ações do Citigroup. "Acreditamos que isso é um bom sinal, porque mostra confiança de que as condições melhoraram até o ponto em que a venda tornou-se viável", disse Gary M. Goldberg, executivo-chefe de gerenciamento de recursos da Gary Goldberg Financial Services.

 

"O importante é lembrar que o governo nunca quis as ações em primeiro lugar. Eles não estão sendo motivados a vender porque acham que há alguma coisa errada. É justamente o contrário", avaliou.

 

As ações do Goldman Sachs, que mais cedo operavam em baixa, subiam 1,57%. Segundo informações da Bloomberg, dos cinco integrantes do conselho da Securities and Exchange Comission (SEC, a comissão de valores mobiliários dos EUA), três deles - incluindo a presidente da agência, Mary Schapiro - votarão a favor de uma ação contra o Goldman por conta de uma suposta fraude cometida pelo banco e divulgada recentemente pela SEC.

 

No mercado de Treasuries, os preços dos títulos caíam, com respectivo movimento inverso dos juros, diante da redução com os receios dos potenciais impactos negativos da acusação de fraude direcionada ao Goldman Sachs. "O pânico de sexta-feira parece ter diminuído", disse Ted Ake, diretor de negociações com Treasuries do Société Générale em Nova York. Às 16h25 (de Brasília), o juro projetado pela T-note de 10 anos estava em 3,803%, de 3,769% na sexta-feira.

 

Entre as moedas, o euro caía para US$ 1,3477, de US$ 1,3506 na sexta-feira, enquanto o dólar subia para 92,42 ienes, de 92,15 ienes. As informações são da Dow Jones.

 

Tudo o que sabemos sobre:
açõesbolsaDow JonesCitigroup

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.