Bolsas de NY interrompem ganhos e abrem em baixa

O mercado de ações dos Estados Unidos abriu em baixa nesta terça-feira, interrompendo os ganhos da semana passada. O índice Dow Jones abriu em baixa de 0,01% e o Nasdaq, de 0,38%. O enfraquecimento do dólar, o rebaixamento da recomendação de compra para a General Motors e as vendas decepcionantes da rede Wal-Mart em maio são citados como fatores que influenciam hoje no desempenho dos negócios. Nesta manhã, o presidente dos EUA, George W. Bush, confirmou a escolha de Henry Paulson para substituir o secretário do Tesouro, John Snow. Inicialmente, o dólar abriu pressionado por rumores sobre a escolha de Donald Evans, que seria mais inclinado a adotar um dólar mais favorável para as indústrias exportadoras norte-americanas - mais fraco, porém mais competitivo no mercado externo. A GM cedia 2,4% no pré-mercado, após o analista do Deutsche Bank, Rod Lache, ter rebaixado a recomendação para as ações da montadora de "manter" para "vender", um mês após ter elevado a recomendação. Os papéis da Wal-Mart perdiam 0,6%, após a companhia ter calculado que suas vendas em lojas abertas há mais de um ano cresceram 2,3%, em maio, nos EUA, perto do piso das estimativas da empresa. Em uma mensagem distribuída no sábado, a companhia atribuiu o desempenho fraco à pressão dos preços da gasolina a US$ 3 o galão e ao ciclo de pagamento "mais pronunciado". Isso indica que os clientes estão vivendo de cheque em cheque e concentrando seus gastos para o primeiro ou o 15º dias do mês. A Wal-Mart previa aumento das vendas mesmas lojas de 2% a 4% para o mês. As ações da Kinder Morgan, uma companhia de redes de gás e petróleo, subiam 23%. O "The Wall Street Journal" informou que a direção da empresa apresentou um plano para assumir o interesse controlador da companhia. Se o negócio for aceito, será uma das maiores compras alavancadas da história gerencial dos EUA. O movimento é liderado pelo executivo Richard Kinder e conta com a participação de outros acionistas e dos investidores em private equity, como o Goldman Sachs Capital Partners, American International Group e do Carlyle Group. Atualmente, Richard Kinder detém um controle de 18% da companhia que ajudou a fundar. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.