Bolsas de NY interrompem sequência de queda

As bolsas de Nova York fecharam em alta nesta terça-feira, 25, após duas quedas seguidas, em uma sessão volátil. Ações do setor de biotecnologia e outras consideradas arriscadas ficaram no foco novamente, como vem acontecendo desde sexta-feira, enquanto os indicadores divulgados hoje apresentaram sinais divergentes sobre a economia dos EUA e tiveram impacto limitado sobre os papéis das empresas negociadas em Wall Street.

Agencia Estado

25 de março de 2014 | 18h33

O índice Dow Jones subiu 0,56%, ou 91,19 pontos, para 16.367,88 pontos. O índice S&P 500 avançou 0,44%, ou 8,18 pontos, para 1.865,62 pontos. O Nasdaq, que mostrou bastante volatilidade ao longo do dia, ganhou 0,19%, ou 7,88 pontos, e fechou a 4.234,27 pontos. O índice que contém diversas companhias de tecnologia e biotecnologia caiu 1,7% entre o pico da manhã e a mínima registrada à tarde. Segundo operadores, não houve uma notícia específica por trás do movimento.

Alguns observadores do mercado disseram que o enfraquecimento repentino das ações de alto desempenho - visto na sexta e na segunda-feira - pareceu ser resultado de uma realização de lucros de investidores de longo prazo antes do fim do primeiro trimestre. Outros comentaram que a liquidação desses papéis representa um sinal de que os investidores estão se preparando para mais declínios adiante.

"Quando você começa a ver o ritmo se revertendo, geralmente é o primeiro estágio de algum tipo de aversão ao risco", disse Mike O''Rourke, estrategista-chefe da JonesTrading Institutional Services.

As ações do Twitter devolveram os ganhos iniciais e caíram 1,8%, enquanto Facebook se recuperou das perdas do começo do dia e subiu 1,2%. Netflix, uma ação que mais do que dobrou de valor durante o último ano, recuou 2,1%. A oscilação vista hoje reflete um ambiente em que os investidores estão reticentes em fazer apostas firmes de alta, especialmente com o índice S&P 500.

No noticiário macroeconômico, os preços das moradias nas 20 maiores cidades dos EUA subiram 13,2% em fevereiro, levemente menos do que em janeiro, ante previsão de alta de 13,5%, de acordo com dados da S&P/Case-Shiller. As vendas de moradias novas caíram 3,3% em fevereiro e ficaram abaixo das projeções, enquanto o índice de confiança do consumidor medido pelo Conference Board subiu para 82,3 em março, bem acima da estimativa de 78,9.

Entre outros destaques em Wall Street, as ações da Wall Disney subiram 0,1% depois de a empresa concordar, ontem, em comprar a Maker Studios, que é uma rede de conteúdo online, por US$ 500 milhões. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas de Valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.