Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bolsas de NY perdem força após ata do Fed

Às 15h35 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,01%, o Nasdaq caía 0,24% e o S&P 500 tinha queda de 0,03%

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

31 de agosto de 2010 | 15h36

A ata da reunião de agosto do Federal Reserve (Fed, banco central americano) deixou os investidores mais cautelosos, provocando um enfraquecimento nos índices do mercado de ações dos EUA e nos juros projetados pelos Treasuries (títulos do Tesouro dos EUA). O documento mostrou que as autoridades do banco central estão cada vez mais divididas em relação a qual caminho seguir em termos de política monetária e também apontou que algumas delas veem os indicadores econômicos mais recentes como uma comprovação de previsões pouco promissoras feitas anteriormente.

"Alguns formuladores de políticas cujas estimativas de crescimento estavam na ponta mais baixa das projeções feitas anteriormente consideraram os indicadores recentes consistentes com as previsões de recuperação fraca", afirmou o Fed em sua ata. Muitas autoridades, segundo o documento, passaram a considerar que as ameaças ao crescimento "ficaram um pouco maiores".

Os membros do banco central estão particularmente preocupados com um aumento no risco de "a demanda privada por bens e serviços não crescer o suficiente para compensar a diminuição dos estímulos fiscais".

Às 15h35 (de Brasília), o índice Dow Jones subia 0,01%, o Nasdaq caía 0,24% e o S&P 500 tinha queda de 0,03%. Antes da divulgação da ata, todos os índices operavam em território positivo, com o Dow Jones e o S&P 500 avançando pouco mais de 0,30%.

No mercado de Treasuries, o juro projetado pela T-note de 10 anos estava em 2,470%, de 2,491% antes da divulgação do documento. Entre as moedas, o euro subia para US$ 1,2687, de US$ 1,2663 na segunda-feira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.