Bolsas de NY reagem com alta a discurso suave do BC

Os mercados financeiros reagem positivamente à sensação de que o depoimento preparado ao Senado norte-americano pelo presidente do Fed (banco central americano), Ben Bernanke, não sugere que a autoridade monetária esteja muito inclinada a elevar o juro. Embora Bernanke não tenha diretamente sinalizado a pausa, especialistas consideraram seu discurso suave. Bernanke ainda será sabatinado (sessão de perguntas e respostas) e os investidores poderão recolher impressões melhores sobre a economia e a política monetária. Bernanke afirmou que o ritmo da economia norte-americana parece moderar-se, mas que a inflação têm sido uma "preocupação" para o banco central. Ele considera que, ao mesmo tempo em que as expectativas de inflação estão contidas e a desaceleração do crescimento ajuda a moderar a pressão dos preços, ainda há fatores que puxam a inflação. Entre as poucas referências feitas à política monetária, Bernanke disse ainda considerar a direção do juro dependente dos próximos indicadores econômicos. Às 11h26 (de Brasília), o Dow Jones subia 0,78% e o Nasdaq avançava 0,71%; o índice S&P 500 operava em alta de 1,24%. O juro do título de 10 anos do tesouro americano recuou para 5,1148%, de 5,1804% na máxima atingida após a divulgação do CPI (índice de preços ao consumidor), às 9h30. O dólar também devolveu a alta após o CPI, caía para 116,98 ienes, de 117,90 ienes na máxima; o euro subia para US$ 1,2558, de US$ 1,2457 na mínima. Com informações da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.