Bolsas de NY recuam com fala de Obama sobre Ucrânia

As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta quarta-feira, 26, nas mínimas da sessão, revertendo ganhos anteriores, com o discurso do presidente dos EUA, Barack Obama, sobre a crise na Ucrânia.

STEFÂNIA AKEL, Agencia Estado

26 de março de 2014 | 17h56

O índice Dow Jones caiu 98,89 pontos (0,60%) e fechou aos 16.268,99 pontos. Já o S&P 500 perdeu 13,06 pontos (0,70%) e encerrou a sessão aos 1.852,56 pontos. E o Nasdaq recuou 60,69 pontos (1,43%), fechando aos 4.173,58 pontos, no menor patamar de fechamento desde 10 de fevereiro.

Em seu discurso, Obama pediu maiores sanções e preparo militar em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia. "O mercado está claramente buscando um motivo" para respirar após a sequência de ganhos, disse Joseph Greco, diretor da corretora Meridian Equity Partners. Segundo ele, muitos investidores acreditam que os ganhos do mercado acionário este ano serão mais modestos do que em 2013.

Segundo investidores, o noticiário político forneceu uma oportunidade de venda com o noticiário econômico mais fraco das últimas sessões. Além disso, muitos indicadores têm sido prejudicados pelo inverno nos EUA.

As encomendas de bens duráveis saltaram 2,2% em fevereiro ante janeiro, superando a previsão dos analistas de alta de 0,8%. Excluindo-se o volátil setor de transportes, porém, as encomendas tiveram um modesto avanço de 0,2%.

No noticiário corporativo, as ações do Facebook caíram quase 7%, pressionando o Nasdaq, após a companhia informar na noite de ontem que vai comprar a Oculus VR, da área de equipamentos de realidade virtual, por US$ 2 bilhões, a serem pagos em dinheiro e ações. No mês passado, o Facebook adquiriu o serviço de mensagens de texto WhatsApp por US$ 19 bilhões.

A King Digital Entertainment, fabricante do popular jogo "Candy Crush Saga", recuou 15% em seu primeiro dia de negociação.

Na Europa, as bolsas fecharam em alta, motivadas pelas expectativas por medidas adicionais de estímulos após comentários recentes de dirigentes do Banco Central Europeu (BCE). A Bolsa de Frankfurt ganhou 1,18%, Londres subiu 0,01%, Paris avançou 0,94% e Milão teve alta de 1,37%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Tudo o que sabemos sobre:
Bolsas de Valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.