Bolsas de NY recuam com petróleo e salário nos EUA

A reação positiva inicial em reação ao relatório de trabalho nos Estados Unidos não se sustentou e as bolsas de Nova York abriram em queda. Às 10h41 o índice Nasdaq recuava 0,62%, o Dow Jones perdia 0,63% e o S&P 500 -0,30%. Isso porque o relatório do Departamento do Trabalho norte-americano mostrou aumento de 0,48% no ganho por hora trabalhada em junho no país, acima da alta de 0,30% esperada. Além disso, o petróleo avançava para novas máximas históricas, impedindo o alívio com o crescimento abaixo do esperado das vagas criadas em junho. Houve aumento de 121 mil postos de trabalho em junho nos EUA. O número ficou abaixo até mesmo das projeções iniciais de 170 mil vagas, conforme pesquisa Dow Jones/CNBC. No entanto, essa estimativa foi inflada para 200 mil após a divulgação de um relatório da Automatic Data Processing/Macroeconomic Advisors segundo o qual teriam sido criados 368 mil postos em junho. O dado de maio, por sua vez, foi revisado em alta, passando de 75 mil para 92 mil. Hoje o petróleo chegou a atingir US$ 75,78 por barril, na Nymex, em Nova York. Por volta das 10h40, o preço do barril subia 0,53%, para US$ 75,54 por barril. No quadro corporativo, a Advanced Micro Devices alertou ontem que deve ter declínio no segundo trimestre, ante o primeiro trimestre, um sinal de que a agressiva política de corte de preços da Intel está fazendo estragos na concorrência. As ações da AMD cediam 5% no pré-mercado. A 3M fez um alerta hoje sobre seu lucro no segundo trimestre e seus papéis recuavam 6% no pré-mercado. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.