Bolsas de NY recuam com prévia ruim de empresas

As ações de tecnologia comandaram as vendas na abertura da sessão regular das bolsas em Nova York, já que a Lucent ontem decepcionou com a divulgação de estimativas abaixo do esperado para seu resultado do segundo trimestre. O Nasdaq abriu em queda e deve ser novamente mais atingido. Às 10h36 (de Brasília), o índice Nasdaq perdia 0,57%, o S&P 500 cedia 0,17% e o Dow Jones apresentava redução de 0,24%. Ontem, o Nasdaq fechou em baixa, na contramão do Dow Jones e do S&P 500, depois de a empresa de armazenamento de dados, a EMC rebaixar sua previsão de lucro para o segundo trimestre. As ações da EMC encerraram em baixa de 6,9%, prejudicando papéis também da Hewlett-Packard (-2,80%), Sun Microsystems (-2,3%) e Dell (-1,6%). O anúncio ontem depois do fechamento do mercado de vendas abaixo do esperado pela blue chip (ação de primeira linha) Alcoa, que informalmente abriu a temporada de balanços nos Estados Unidos, igualmente deve pesar nos negócios desta terça-feira. Tanto a advertência da Lucent, quanto o balanço da Alcoa minam o sentimento dos investidores, causando ceticismo e preocupação em relação à temporada de balanços nos EUA. Na semana passada, a blue chip 3M já havia assustado investidores com a informação de que seu lucro deve vir abaixo do esperado. No pré-mercado, as ações da Alcoa caíram 3,7%, com anúncio de elevação de 62% de lucro para US$ 744 milhões (US$ 0,85 por ação) e de 19% nas vendas para US$ 7,96 bilhões no segundo trimestre. O lucro ficou dentro do estimado, mas as vendas abaixo do projetado de US$ 8,01 bilhões. As ações da Lucent recuaram 3,85%, com informações de que suas receitas devem ficar US$ 300 milhões inferior ao esperado para o trimestre. Entre outros destaques do pré-mercado, estiveram os papéis da Continental Airlines, que perderam 3,9%, depois de ter sua recomendação rebaixada para neutro, de compra, pela Merrill Lynch. A corretora rebaixou também a US Airways e a AMR, controladora da American Airlines. Ambos papéis não foram negociados no pré-mercado. Já os papéis da Pepsi Bottling Group subiram 5,1%, com divulgação de lucro acima do esperado no segundo trimestre, de US$ 148 milhões (US$ 0,61 por ação). A estimativa era de lucro de US$ 0,59 por ação. Os papéis da Merck avançaram 0,7% com a aprovação pela FDA de seu medicamento para tratamento de prevenção a náuseas em períodos pós operatórios. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.